segunda-feira, dezembro 27, 2010

canto meio desesperado

arte:rafael godoy

me ensine a percorrer esses
caminhos sem sombras
me diz embora o dia nublado
e os homens cinzas
que a noite vem com estrelas

tenho as mãos secas de agonia
imploro para que preserve os meus olhos
esses ossos e o coração já vacilante
que a morte é certa mas não precisa ser agora

descobri que tenho me escondido em vão
e o meu grito se estende como uma estrada longa e sem volta

vejo em você o que não queria ver em mim
e me assusto sempre
então me mostre o que não sei
e deixe a marca de seu amor

me contamine
nesse dia
que essa febre não vai me matar
pelo menos hoje não

quarta-feira, dezembro 22, 2010

Poema lá

Oi, gente!

Tem um poema meu" véspera" no Maria Clara. É só clicar aqui.

Muita alegria pra todos vocês.

Beijo

terça-feira, dezembro 21, 2010

grande deus



Penso num poema que lia, quando era pequena, de Casimiro de Abreu e que a professora obrigava a decorar:

Eu me lembro! Eu me lembro! - Era pequeno
E brincava na praia; o mar bramia,
E, erguendo o dorso altivo, sacudia
A branca espuma para o céu sereno.

E eu disse a minha mãe nesse momento:
Que dura orquestra! Que furor insano!
Que pode haver maior que o oceano
Ou que seja mais forte do que o vento?

Minha mãe a sorrir, olhou pros céus
E respondeu: - Um ser que nós não vemos,
É maior do que o mar que nós tememos,
Mais forte que o tufão, meu filho, é Deus.


Então, talvez venha daí a minha associação do mar com deus. Ou o medo que tenho do mar é o mesmo que tinha de deus. E, até hoje, quando vejo o mar ou mergulho nele me vêm esses versos na memória e procuro pedir licença sempre para entrar em suas águas. Vejo o mar como um grande deus que guarda todos os segredos dos homens e do universo. E talvez seja a coisa que mais respeito, admiro e temo no mundo.

HOJE TEM UM POEMA MEU NO MARIA CLARA, É SÓ CLICAR AQUI.

sexta-feira, dezembro 17, 2010

entre mim e a cidade

beagá

tenho em mim essa fera adormecida
e garras prontas para o ataque
o bicho bêbado e solitário

as luas que já vi ainda brilham nos meus olhos
e a neblina nunca me deixa
sinto o cheiro do mar que não existe
e farejo a noite sedenta

o vinho que tomei ontem ainda exala dos poros
a cidade iluminada de natal me afasta
não entro em shoppings e corro de papais noéis

mas a cidade é assim nessa época
e ainda bem que tem os bares
o pôr-do-sol
os amigos as esquinas
e os deuses anônimos das ruas


quinta-feira, dezembro 16, 2010

constatação 2

arte: rafael godoy

queria não ter esses olhos e nem essa pele
e essa alma perdida que se comove com o mundo

quarta-feira, dezembro 08, 2010

na pia espuma branca no poema dia

Ando quase sem tempo, não tenho conseguido visitar os blogs preferidos nem escrever como gostaria, mas daqui a pouco isso passa e volto ao "normal".

Quem quiser conferir, tem um poema meu no poema dia. É só clicar aqui.

Vou gostar muito da presença de vocês lá.

Beijos.

terça-feira, novembro 23, 2010

Noite na Guanabara no "maria clara" e a chuva entrou no "gato da odete".

Oi, pessoal. Tem um poema meu lá no Maria Clara.
Foi feito durante uma das últimas viagens que fiz ao Rio.
Talvez vocês gostem.
É só clicar aqui.
Beijos


Também estou lá no "gato da odete".


terça-feira, novembro 09, 2010

terça-feira, novembro 02, 2010

desde que você me disse que não acreditava em discos voadores

arte: rafael godoy

desde que você me disse que não acreditava em discos voadores
mesmo quando te contei que vi um enorme pairando sobre a minha varanda
fiquei pensando no que você acreditava
além desse medo católico e evangélico
de ser condenado ao inferno
não precisa disso, cara
você já está condenado ao inferno de viver
nesse cartesianismo barato regado a um deus que julga e condena
está condenado a acordar cedo todas as manhãs e trabalhar feito mártir
e esperar desesperadamente o final de semana para encher a cara
e poder falar as merdas que você fala e se achar o senhor da verdade
de entrar em seu carro de luxo e me convidar para desfrutar de sua companhia
talvez em um motel
e com seu perfume francês arrotar canalhices
não, cara
não quero mais ficar a seu lado
mesmo que suas mãos saibam os caminhos que me levam ao paraíso
quero ficar aqui com meus discos voadores e poesia
tomar vinho com amigos e escutar música de verdade
e não ficar ouvindo esses sertanejos de merda
que ficam nos cedês espalhados em seu carro
não vou te aceitar mais, cara
mesmo que sinta falta de seu beijo
na minha vida não cabe mais você


quarta-feira, outubro 27, 2010

Lançamento do livro: quem foi gostou!

foto que "roubei" da Úrsula

Pessoal, o lançamento do livro foi um sucesso. Embora a chuva forte, um toró, que caiu bem na hora, o lugar ficou cheio. Muitos comes, bebes, amigos, familiares, conhecidos e desconhecidos. Muitos livros foram comprados, muita alegria no ar. Fiquei meio assustada com os autógrafos que tive que distribuir, mas no fim deu tudo certo. Lógico que tive que me apoiar na velha e boa companheira, a cerveja, e em alguns amigos pra tirar um pouco a minha timidez e ansiedade.

Um amigo meu, escritor mineiro, Jaime Prado Gouvêa, vencedor do Prêmio Jabuti, com o livro "Fichas de Vitrola" e ganhador de vários outros prêmios, me deu a honra de sua presença. Autografar para ele, um cara fera, foi um momento especialíssimo pra mim.

O Henrique Godoy, meu irmão, é que organizou tudo ou quase tudo, e agradeço a ele tanto empenho e carinho. No meio da música, ele recitou alguns poemas meus e da Úrsula, foi muito legal. O Lumumba, com sua voz de baixo, cantou divinamente. Um show! Outros tantos, entre irmãos e amigos contribuíram para essa noite ser inesquecível.

O violão porretíssimo do Daniel, meu irmão, um artista de primeira (não é pra puxar saco) só parou quando a festa acabou.

Finalmente pude conhecer uma das autoras, a Úrsula, um encanto. E não é que ela cantou e lindamente com meu irmão Daniel no violão?

Pois é, teve isso e muito mais. Quem foi gostou, podem acreditar. Valeu a pena!

PS: Por enquanto é isso, as fotos ainda não foram enviadas. Mas prometo que quando chegarem vou postar aqui.

Um beijo pra todos e, especialmente, para as autoras que fazem parte do livro.

quinta-feira, outubro 21, 2010

universo não necessariamente feminino.

J. Universo divulga o livro e alguns poemas meus em seu blog.
Pra conferir é só clicar aqui.
Beijos.

quarta-feira, outubro 13, 2010

subterrâneos

desenho : fonte google

a bruno bandido

os subterrâneos revelam outra cidade
ratos e gente disputam o mesmo espaço
as águas são podres e fedem debaixo do asfalto
carros passam em cima
pessoas vão ao cinema e ao teatro
não olham para baixo
mastigam chicletes e as roupas são de boutique
discutem beckett e o prêmio nobel de literatura
enquanto outros procuram o nosso lar que nunca está aqui
mas em um céu imaginário e monótono
cospem seus pecados e medos
os seres debaixo do asfalto podem atacar
suas sombras assustam
a fumaça é de crack e de dor
os prédios são altos e inatingíveis
há uma cidade que grita apesar do pôr-do-sol
há uma cidade que dorme apesar dos subterrâneos que nunca dormem


sábado, outubro 09, 2010

hoje tem no poema dia



Hoje tem um poema meu no poema dia. Se quiserem conferir é só clicar aqui.

Beijos e bom feriado.

sábado, setembro 25, 2010

na praça

desenho: rafael godoy

no caos de minha cidade às seis da tarde não tinha mais nenhum pardal. nem que eu olhasse todos os fios, todas as eiras e beiras e procurasse no meio da praça não tinha nenhum pardal e fiquei perdida olhando para aquilo tudo. passou um cara pedindo pra engraxar meus sapatos e eu estava descalça porque fazia calor demais e a primavera tinha começado. mas ele insistiu e eu disse: hoje não dá, cara! então dei umas moedas pra ele e falei que o fim de tarde estava estranhamente belo, mesmo sem os pardais. o cara me abriu um sorriso dos mais lindos que já vi, saiu rápido e trouxe algumas latas de cerveja gelada e ficamos conversando sobre a cidade e o pôr- do-sol. os pardais foram chegando um a um e ficaram ali como se entendessem nossas palavras e como se pressentissem essa possível e intensa primavera.

(texto republicado)

sexta-feira, setembro 17, 2010

filhos na noite

imagem: google

irmãos na noite espalhados
na casa da velha mãe
hoje não é festa, não é aniversário
e surge a pergunta mortal
quem vai ficar com ela?

como se ela não pensasse
como se ela fosse a carga mais pesada

a mãe poderosa infalível
mas memória falha
mergulha nas suas sombras
nos seus medos e sofre

por que meus filhos estão aqui?
queria afagá-los
queria carregá-los no colo
queria alimentá-los e enchê-los de alegria

os filhos como morcegos agitados
começam a se debater
quem vai ficar com ela, a mãe?

uns esbarram as asas frágeis nos outros
uns tentam perfurar o coração dos outros
uns se acham insubstituíveis
são líderes, poderosos, ou mais sábios
outros apenas ouvem calados o que se fala

e no fundo do corredor, em seu quarto,
a mãe adormece, preocupada com suas crias

o cansaço da vida faz doer o seu corpo
as suas pernas são quase inúteis
e no seu peito o coração metálico
marca os seus passos dia a dia

e nessa noite ela sonha
sonha com a família em volta da mesa
as conversas intermináveis,
os risos, as piadas, as brigas, a comilança
seus filhos não cresceram tanto
e o seu velho companheiro ainda esta lá

nessa noite, ela sonha

os morcegos, suas crias, levantam voo
cada um com a sua culpa, cada um com o seu pecado

imaginam que poderiam cantar uma canção
que embalasse o sono de sua mãe
essa mulher que tanto amam
que guarda tantos segredos

mas não sabem como
e choram

suas asas pesam
como se carregassem a humanidade inteira
como se já estivessem definitivamente
presos em suas cavernas mais escuras

(texto republicado)

quinta-feira, setembro 09, 2010

vida de cachorro no poema dia

É só ir lá e conferir. Para isso é só clicar aqui. Beijos

quinta-feira, setembro 02, 2010

Um vídeo de Luciano Fraga sobre meu texto e um poema de Nina Rizzi pra mim

Oi, gente, uma grata e bela surpresa: O Luciano Fraga fez um belo vídeo com meu texto: "sábado à tarde numa esquina". Ficou muito legal. Pra conferir é só clicar aqui .

A Nina Rizzi também fez um poema pra mim sobre esse texto e vale a pena conferir em seu blog ellenismos.

Beijão.

domingo, agosto 15, 2010

talvez o último poema ou o velho buk tinha razão

gato preto/ rafael godoy
para nina rizzi

não eu não respiro poesia nem vivo por ela
não me sinto poeta nem outra coisa que o valha
vivo na rotina dos dias incansáveis
e às vezes fecho a janela para não ver a manhã
sou como tantas
talvez um pouco mais triste
e quando menos espero
sinto que as palavras vêm
e tenho que escrevê-las

mas isso não é poesia nem ser poeta
é tirar do café que tomo um gosto diferente
é olhar os carros na rua e pensar em poentes

e quando li nina hoje
me deu a sensação de que as palavras não viriam nunca mais
e olhar uma aranha na parede vai ser olhar uma aranha na parede
e nada mais

talvez esse não seja meu último poema
mas o velho buk sabia:

"se você está morto
você podia também ser enterrado
e jogar fora a máquina de escrever
e parar de se enganar com
poemas cavalos mulheres a vida:
você está entulhando a saída- portanto saia logo
e desista das
poucas preciosas
páginas."

(escrito a partir da leitura de nina rizzi in: ellenismos)

quinta-feira, agosto 05, 2010

Hoje tem no Maria Clara!

Oi, gente, tem um poema meu no Maria Clara.
Se quiserem conferir é só clicar aqui. Beijão

quarta-feira, julho 28, 2010

prosa besta

bonecos do armatrux/arquivo de rafael godoy

nada do que disserem me deixará mais feliz
nem esse céu lindo nem sua foto no porta-retrato

só preciso de mais uma dia pra saber
que meu coração é outro
e nem sei das últimas notícias

só preciso de palavras certas
e coragem pra dizer essas coisas guardadas
que nem o travesseiro sabe

só preciso tirar esse peso do peito
e berrar que não é nada disso

que tenho os olhos agoniados
a geladeira vazia
e o sofá quebrado

mas que guardo ainda uma alegria pura
quando ouço os seus passos na escada

e você me mostra que a vida é simples
quando assiste a um jogo de futebol
e me beija na hora do gol

e dorme depois feito um anjo feliz
quando o seu time ganha

então esqueço dos mistérios e indagações
me deito ao seu lado
e meu coração volta a ser o mesmo


PS: Hoje tem um poema meu lá no Gato da Odete.

terça-feira, julho 13, 2010

vejo-o fazendo café

estudo para tela/mulher/ rafael godoy


trago a vida entalhada em contas papéis livros
lembro quando via sessão da tarde e a tarde não passava nunca
hoje as tardes passam e não vejo
a noite vem como o dia
a noite é a mesma
mesmo quando você vem e diz que me ama
então olho o homem que atravessa a rua
e está com flores na mão
o livro que li há dez anos
vai ser o mesmo se o ler hoje?
vejo-o fazendo café
e a minha angústia costurada em seu pijama
e a vontade desesperada de fugir



sexta-feira, julho 09, 2010

Tem poema meu no poema dia!

Oi, às vezes é chato não ter poemas inéditos, mas quem quiser conferir um que não seja, vai lá no poema dia. Gosto muito desse, especialmente, e vou gostar mais ainda da presença de vocês lá. Para isso é só clicar aqui. Beijos.

quarta-feira, julho 07, 2010

Hoje tem mim lá!

Mais uma vez, tem um poema meu (não é inédito) lá no Maria Clara. Se quiser reler ou conhecer é só clicar aqui. Vou gostar muito. Beijos.

quarta-feira, junho 30, 2010

sábado à tarde numa esquina

desenho de carcarah

foi bom te ver com esses olhos que já me olharam na esquina onde eu às vezes tomava cerveja. você estava mais velho e mais triste e brincava com um cachorro que ficava por ali. tinha ainda um jeito de menino. fiquei te olhando como um filme, querendo dizer alguma coisa. você me viu esquecida de mim. falou algo sobre os dias lindos de inverno. depois veio o silêncio e o pôr-do-sol, a rua, o movimento repentino, o asfalto negro e novo, os prédios acesos, o céu escuro, vazio de estrelas. eu estava na esquina no sábado à tarde e vi seus olhos de novo. agora é noite, agora só a fumaça dos carros, e te vejo como um deus inacessível e estranho.

terça-feira, junho 15, 2010

lá no gato...

Hoje é a minha estreia no blog " O Gato da Odete". Fui convidada já há algum tempo, mas só hoje postei lá. Não é inédito o texto, mas se quiser conferir é só clicar aqui. Beijos.

terça-feira, junho 08, 2010

doce caminho

rascunho em folha de caderno/ guache/ rafael godoy

queria não ter essa cara amassada
esses olhos cansados
e o coração estranho

queria ser o que não fui
mas sou o passado
com o corpo podre e gasto

mas gosto de abrir a janela
e ver essas manhãs frias de junho
me batendo nos cabelos

ainda posso ouvir os stones
dylan joplin tom e chico no sofá de casa
fumar o meu cigarro sem grilhões
e beber meu vinho sossegadamente

parece que o caminho para a morte
pode ser mais doce em dias como esses





segunda-feira, maio 31, 2010

sonhos

gravura em metal /rafael godoy

joguei em você
todos os meus sonhos
fiquei vazia de mim


domingo, maio 23, 2010

Assim que der tempo...

Meus queridos,

Está muito difícil esses dias arrumar um tempo para atualizar minhas leituras. Estou em em trabalho puxado, revisando três livros. E, quando tenho tempo, preciso ficar longe do computador, tenho que descansar os olhos. Assim que passar esse período, volto pra meus blogueiros favoritos. É isso, gente. Não é desatenção, é necessidade mesmo! Beijos.

quinta-feira, maio 13, 2010

Mais um no Maria Clara

Pessoal, hoje tem "mim" no Maria Clara.
Pra conferir é só clicar aqui.
E quem ainda não leu e quiser ler, tem esse poeminha("sua presença") aí embaixo.
Beijos.

quarta-feira, maio 12, 2010

sua presença

imagem do google


quando ele se foi deixou sua presença invisível
uma máquina de escrever
um relógio que sempre marcava a mesma hora
uma lata de rapé pequena, palavras cruzadas
um livro de camões que sabia de cor
e o tapete queimado de cigarro

quando entrei no quarto
o seu cheiro
o som de seu riso e de sua sabedoria
o abraço no ar que até hoje busco

quando ele se foi
tinha um bem-te-vi na janela
e hoje também tem um
me pego com o coração pequeno
e sinto meu velho pai me abençoando





domingo, maio 09, 2010

Hoje tem!

Pessoal, hoje tem poema meu no poema dia. Não é inédito, mas quem quiser dar uma conferida é só clicar aqui. Beijos.

sexta-feira, maio 07, 2010

A Voz no Vale das palavras

Mais uma vez recebo uma homenagem. Desta vez é de Mauro Lúcio, um poeta muito especial, sensível e terno. Quem quiser conferir este poema e conhecer mais poemas do autor clique aqui. Vale a pena. Beijos.


sexta-feira, abril 23, 2010

dominus vobiscum

(não sei se o desenho é do rafael godoy, estava no arquivo dele, é provável que seja)

os homens falaram do apocalipse
e de todas as pragas que viriam
como se não soubessem que isso é todos os dias

disseram que só alguns se salvariam
e esses seriam os que rezavam e os que temiam

nas casas de deus templos e catedrais
homens pregam e dizem conhecer o caminho
há que se doar o pouco que se tem os pobres
e ajudar as entidades e ceder grandes verbas os ricos

assim serão salvos esses que asseguram
um pedaço de céu o paraíso
os outros queimarão no inferno

e esses que prestam contas ao senhor
às vezes não creem
ao ver que o demônio deles não se desgruda
e percebem que o fogo os queimará
nesta terra ou no céu prometido

dominus vobiscum

sexta-feira, abril 16, 2010

pode ser

estudo de mulher/ rafael godoy


deite aqui no meu colo
e deixe que eu te abrace mais uma vez
me dê seus lábios e seu corpo em delírio
põe uma gota de perfume na nuca
e deixe que eu te morda

pode contar as histórias que sei de cor
e cantar a música que um dia foi nossa
meus olhos vão brilhar como se fosse a primeira vez

fale que hoje a lua nasceu só pra nós dois
e que vai me cobrir quando esfriar de madrugada

se eu te der o meu amor intenso e quente como agora
talvez você fique aflito e saia
ou pode ser que goste
e ainda fique por algum tempo

não terei coragem de te dizer essas palavras
mas em algum lugar vão estar escondidas
sob o tapete nos lençóis
ou na poeira que sobe e sai pela janela









quarta-feira, abril 14, 2010

No Maria Clara

Oi, pessoal! Lá no Maria Clara tem um texto meu. Quem quiser conferir é só clicar aqui.
Beijos!



PS: ESTOU EM UM TRABALHO QUE ESTÁ TOMANDO QUASE TODO O MEU TEMPO. SEMANA PRÓXIMA, ESPERO ATUALIZAR MINHAS LEITURAS E PUBLICAR POEMAS INÉDITOS. É ISSO!

sexta-feira, abril 09, 2010

hoje tem!

Oi, gente! Hoje tem um poema meu lá no poema dia. Pra conferir é só clicar aqui.
Beijos.


PS: Estou sem tempo de atualizar minhas leituras. Mas logo, logo, volto com força total.

terça-feira, março 30, 2010

esse é o dia

mulher/rafael godoy


esse é o dia que talvez corra perigo
de dar voltas sobre meu corpo e em volta da mesa
de não saber direito olhar a lua
de não achar o livro que me deu de aniversário

esse é o dia de cortar os cabelos e pintar as unhas
de não saber dizer não quando devia
de fingir acreditar em seus olhos
de olhar debaixo da cama e encontrar o pé sumido da sandália

esse é o dia de ler horóscopos rasos e tarôs
e pensar que tudo vai dar certo no fim do dia
de incendiar o corpo e gelar sorrisos
de dizer o que ontem seria mentira

quinta-feira, março 25, 2010

Ausência

Pessoal, estou ausente há um tempinho, mas assim que resolver alguns problemas, volto com força total. Aí, vou atualizar minhas leituras. I hope so! Beijos.

domingo, março 21, 2010

no teorema da feira

O Lívio do "Teorema da Feira" postou um poema meu lá. Não é inédito, mas quem quiser reler é só clicar aqui. O Blog dele é muito bom. Beijos.

quinta-feira, março 18, 2010

Tem um poema meu lá!!

Tem um poema meu lá no Maria Clara.
Se quiserem conferir é só clicar aqui.
Beijos

terça-feira, março 16, 2010

you are lady




resta nada mais que um resto de café na garrafa
um frango gelado que não tive coragem de comer
por pensar como viveu triste e apertado na granja
tomando bicadas de seus irmãos e ferido
achando que sempre era dia

resta um último cigarro que deixei pra hoje
e não acho a hora certa de falar com você
e dizer que não dá mais
que sou o frango
apertado na granja e querendo a noite
uma vez só pelo menos uma noite
era o que queria dizer hoje pra você

mas o dia está enorme claro quente
a noite não vem nunca e ouço "you are lady"
que você cantava pra mim

terça-feira, março 09, 2010

hoje tem!!

Meus queridos e estimados leitores, hoje tem poema meu no poema dia.
Para conferir é só clicar aqui.
Beijos.

sexta-feira, março 05, 2010

beijo

élida laranja/ o beijo

entre dentes e línguas

entre a sua boca e a minha

um rio quente de solidão

quinta-feira, março 04, 2010

Voz no Balaio

Oi, pessoal,, hoje tem minha VOZ no Balaio. Quem quiser conferir é só clicar aqui. Beijos.

segunda-feira, março 01, 2010

Vale a pena!

Pessoal, o Danilo de Abreu, um poeta de primeira, fez um poema dedicado a mim, à Voz. Modéstia à parte, vale a pena conferir. É só clicar aqui.

Beijos.

sexta-feira, fevereiro 26, 2010

da janela

modigliani by guga shultze



tantos dias ficava na janela
a perscrustar ruas
a sentir o peso do vento e da lua
o ar alto parado

a vida passava próxima
o corpo longe largado

um aroma mais escuro
impregnava as narinas dilatadas

animal acuado ao ver a moça
de olhos negros molhados





terça-feira, fevereiro 23, 2010

vida

                                                             guga shultze

quinta-feira, fevereiro 18, 2010

Hoje tem!

Oi, gente. Hoje tem um poema meu no Maria Clara. Tem esse também inédito aí embaixo. É só conferir  aí embaixo e  aqui. Beijos

quarta-feira, fevereiro 17, 2010

enquanto dorme

 
estudo para aquarela/ rafael godoy
enquanto dorme
um homem se atira do oitavo andar do prédio ao lado
e um cão perdido se estende ao sol no meio da rua
três carros capotam na estrada
e alguns pardais tomam banho na água suja

enquanto dorme
a chuva inunda uma cidade inteira
e ratos se escondem nas casas junto às pessoas desesperadas
e aparece uma flor no vaso da nossa janela


enquanto dorme
me deito ao seu lado
e olho para o seu rosto calmo e sereno
para o seu rosto calmo e sereno

quinta-feira, fevereiro 11, 2010

dome o medo

nanquim/marut

dome o medo
medonho medo
arrasta prende
gela acende

medo medonho
estanca fere paralisa
movimento inércia
liberdade prisão

medo de
barata bandido borboleta
formiga foda faísca
mar morte morcego
polícia puta palhaço
tortura tédio trabalho

dome o medo
dane-se o medo
medo mundano
medo maior de amar



segunda-feira, fevereiro 08, 2010

Tem poema meu lá!!

Pessoal, tem um poema meu lá no poema dia. Quem quiser conferir, clique AQUI!
Beijos.

segunda-feira, fevereiro 01, 2010

quero a noite

rascunho para tela/ rafael godoy


ainda que o corpo clame
sinto em mim um deserto morno
a luz que bate de manhã e me faz fechar a cortina
tenta entrar pelas fresta da outra janela
bem-te-vis gritam em desarmonia
cadê os pardais?
os projetos em cima da escrivaninha me olham
os livros que não consegui ler empilhados
e bananas apodrecendo na fruteira
ontem dormi em outra cama
e ouvi : amor, quer café ou suco?
hoje ouço os carros e as pessoas indo pro trabalho
e sei que breve estarei lá misturada nas ruas e nas pessoas
as notícias das crianças do haiti e as enchentes
as atrocidades sem medida e as tragédias
os deuses devem estar dormindo há séculos
esse sol me atordoa quero a noite
e a brisa que soprava do mar

segunda-feira, janeiro 25, 2010

volta


voltei e meus braços são compridos como as estradas
mesmo com o mar nos olhos as montanhas me fascinam
um cansaço aflito se instala no corpo
minhas mãos não estão ágeis
e a cabeça pesa mais que a chuva forte e fria
as palavras estão escondidas em algum canto de mim
me lembro de um cavalo cego que rondava a casa da praia
disputava o lixo com os urubus e ainda continuava todos os dias
de um cão que sorria quando chamavam o seu nome
de quando o mar ficava vermelho no fim da tarde
e eu ficava lá até o escuro
e tinha a madrugada e eu dormia