sexta-feira, março 05, 2010

beijo

élida laranja/ o beijo

entre dentes e línguas

entre a sua boca e a minha

um rio quente de solidão

40 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Dri,




Que hiato...







Beijo.

Adriana Godoy disse...

Marcelo, pois é...beijo

Lara Amaral disse...

Interessante divisa
secura e saliva
contato em vão.

=)

Adorei!

Beijo.

Lou Vilela disse...

ual!! ;)

pianistaboxeador21 disse...

Um rio quente de solidão!

Isso é bonito demais!

Beijo

Fabio Rocha disse...

Cara, que poema complexo. Leio e releio e a solidão me parece desconexa. Poesia agonia. :) Gostei!

Renata de Aragão Lopes disse...

Há bocas
que nem de companhia
nos servem...

Maravilhosos versos, Dri!

Adriana Godoy disse...

Lara, percepção interesante. Bj


Lou, hehehe...bj


Daniel, legal que vc tenha gostado. Beijão.


Fabio, acho que é por aí mesmo!beijo.


Renata, é mesmo. Valeu. beijo.

José Carlos Mendes Brandão disse...

Ficamos perplexos com a solidão. Nem um beijo nos une. É um poema forte, Adriana.
Beijo.

Adriana Godoy disse...

JC, grata por seu comentário. A solidão é algo forte mesmo. Bj

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana,

belíssimo poetrix, de grande mensagem existencial/ relacional e beleza poética. A solidão presente nos espaços de interação... Muito bom ! Bj,

Úrsula

Adriana Karnal disse...

Adri Godoy,
Sabe que no âmago... nossa poesia desta semana está na mesma linha...entre essas bocas q parecem próximas, a língua é estrangeira.

Mirse Maria disse...

Que Beleza de posia, DRI!

A solidão como rio quente....

Maravilhoso!

Beijos

Mirse

Wania disse...

Dri

Solidões aproximadas!

Gostei muito...
Bjs

La sonrisa de Hiperión disse...

Genial, como siempre.

Saludos y un abrazo enorme.

Danilo de Abreu Lima disse...

adriana.
muito bonita a sua concisão e o superlativo da emoção: um beijo, que tanto significa , e que é o signo predileto do amor- aqui transformado em marca de solidão -
que é a vulgarização do beijo, do gesto, da entrega- que vira apenas esrfrega-
tô chato, mas seu poema me trouxe reflexões-
Grande abraço, poeta-
amigo
dan.

Adriana Godoy disse...

Úrsula, interessante sua percepção. Beijo.


Karnal, acho que é por aí. beijo.


Mirse, sempre tão intensa. Obrigada. beijo.



Wania, "solidões aproximadas"...gostei. bj


Hiperión, agradeço. Beijo.


Danilo, vc não tá chato não. Seu comentário é bastante pertinente. Vc acertou na mosca. Beijão.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Por vezes não basta amar, não basta 'ter', possuir, estar... se quer mergulhar, se quer 'fagocitar', fugir deste lugar incomunicável de nós [encarcerados no eu-só]... penso, há de haver sempre solidão, enquanto a linguagem [do corpo, do coração, da alma, da boca, da voz e do que seja] não possibilitar transmitir o pensamento puro [melhor, o sentimento puro, puro feeling...]

sopro, vento, ventania disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
sopro, vento, ventania disse...

Eita texto mais contemporâneo, Adriana.
BELÍSSIMO!!!! Vejo, nessas suas poucas - e precisas - palavras, o tudo imenso que é essa pressa contemporânea de ter sem ser.
um beijo,
Cynthia

Marcia Barbieri disse...

lindo, uma beleza contraditória.

beijos

Wilson Torres Nanini disse...

Remete à solidão partilhada, quando dois penhascos fazem germinar um pomar. Abraços!

Rafael Rodrigues disse...

Lindo! Lindo! Lindo!
Adorei!!! Decorei!!!


Beijão.

tambéme estou sempre aqui.

Hercília Fernandes disse...

Godoy,

amei seu miúdo. Gostaria de tê-lo escrito. Muito bom mesmo!

Beijos,
H.F.

tonholiveira disse...



_ei

b jo!

Fred Matos disse...

Um rio quente de solidão
entre dentes e línguas
diz-me beijos insuficientes
mas é a minha imaginação
somente.

Gostei muito, Adriana.
Ótima semana.
Beijos

Adriana Godoy disse...

Valeu, gente, agradeço a presença e comentário de cada um de vcs. Beijos.

tania não desista disse...

dri...acontece!
bôcas podem se unir em quentes desejos!...mas a alma pode continuar só.
a solidão precisa de que?...ah!... apenas... ela sabe !

bjos dri....mais um show de sensibilidade em poucas palavras!
taniamariza

Felicidade Clandestina disse...

fantástica.



amei sua poesia.
e muito bacana seu cantinho :)


abraços e boa semana!

Vinícius Paes disse...

Pra fugir da própria sombra, um pouco de saliva ácida. Beijos com gosto de solidão.

linda poeminha, Adriana.

beijos.

guru martins disse...

...isso
também
justifica
o beijo...

e eu tbj

Thalita Souza disse...

O beijo!
Que adorável!Em poucas palavras,grandes significados!
muito bom mesmo!
beijos.

Le Vautour disse...

Liiindoooo! Arrupiei!

Por que você faz poema? disse...

Rio quente
para navegar.

[ rod ] ® disse...

O solo do que dizes é tão certo quanto esta escrita desejosa que queremos.

Um bj moça!

Talita Prates disse...

que forte.
to aqui pensando...

Bjo, Dri.

A.S. disse...

Há beijos... que não são mais que um gélido encontro de lábios...


AL

BAR DO BARDO disse...

... bom golpe - como sempre...

Cosmunicando disse...

perfeito! demais :)
beijo

Cosmunicando disse...

levei o poema, tá bom?