domingo, maio 09, 2010

Hoje tem!

Pessoal, hoje tem poema meu no poema dia. Não é inédito, mas quem quiser dar uma conferida é só clicar aqui. Beijos.

9 comentários:

Devir disse...

"o inseto se vai e bebo mais
olho a noite escura os pratos brancos
alguém me espera no sofá"

Disse tudo
quando a neutralidade
pede passagem
e nada fazemos para facilitar
a ida, ou a volta, ou o nada
como se nada ida volta
até da neutralidade fosse falta
e que esta maldita
fosse melhor que lida
diária mente feliz

Quando inseto
parado
ser alguém
voando
seja certo
ou pirado
voce vem

Felis dia de uma deusa
de todas as mães

Fred Matos disse...

Já estou correndo pra lá, mas antes é desejar-te uma ótima semana e deixar um beijo

Úrsula Avner disse...

Oi Adriana, lembro-me de já ter lido e comentado esse poema de sua autoria... Muito bom ! Uma das expressões mais articuladas poeticamente do cotidiano urbano... Bj grande.

Devir disse...

Depois da punkada
a família toda reunida
só mesmo a minha mania
para poder dormir são
sempre calorosamente acompanhado
passei por aqui e antes de desligar
ouvir a Voz (não me sai da cabeça)
que tal ressonando
naquele limbo bom
Voz descer pelo ralo
rss, pescoço de quem não estuda
boa noite, AGod

BAR DO BARDO disse...

Recomendo: boa poesia!

Adriana Karnal disse...

Adriana,
reconheci, mas sempre gosto de lê-la, mesmo de frente pra trás...

Klatuu o embuçado disse...

Conferidíssimo... ;)

Barone disse...

Recomendo também.

Renata de Aragão Lopes disse...

Claro que irei!