quinta-feira, dezembro 08, 2011

o velho da janela

                                                           arte: rafael godoy
Ontem não o vi mais ali.
O velho que ficava na janela em frente à minha tinha morrido.
De uma forma estranha: bebeu duas taças de champanhe, ficou verde e se foi.
Não que eu tivesse alguma simpatia por aquele sujeito. Na verdade, me incomodava demais.
Sempre estava lá, nos momentos mais inoportunos. Vivia sem camisa e o seu porte avantajado dava a impressão de que era muito  mais jovem do que seus oitenta e três anos. Sua voz, como percebeu o meu filho, era de um garoto.
Mexia com todos que subiam ou desciam a rampa, principalmente, com as viúvas. Como um predador, dizia que estavam lindas e que queria namorá-las. Umas aceitavam o elogio e sorriam timidamente. Outras, o achavam inconveniente. Mas, de uma certa forma, o velho preenchia as suas vidas.
Por incontáveis vezes, tive que fechar a cortina, pois com seus olhos indiscretos entrava em meu apartamento e me despia com o seu olhar de rapina, embora, muitas vezes, já estivesse nua.
Gostava quando abria a janela e ele, por algum motivo, tinha perdido a cena. Era como se eu tivesse vencido algum lance de jogo de cartas ou feito um gol de placa.
Nunca soube o seu nome, até ontem, quando a zeladora me contou sobre a sua morte:
- O Seu Manoel morreu, disse-me ela.
- Quem?
- O Seu Manoel do 407!
-Ah! Que pena! respondi-surpresa e escondendo o meu alívio!
Até hoje não sei por que ele me deixava tão irritada.
Mas, ontem, senti a sua falta e, embora soubesse de sua morte, fechei as cortinas, quando saí do banho, enrolada em uma toalha.
Por um momento, ao olhar a janela em frente, vislumbrei uma sombra e uma risada que conhecia bem.
 E, quando saí de casa, ao atravessar a rampa, não olhei mais para cima. Mas tinha certeza de que ele estava lá. Ou o seu fantasma. 


( Hoje, depois de alguns anos, vi novamente o velho da janela. Juro que ele estava lá)

18 comentários:

guru martins disse...

...quem manda
ser gostosa...

bj

Adriana Godoy disse...

Guru, não é o caso, mas valeu o elogio. Beijo

byTONHO disse...



Ghost.es ou não Ghost.es,
o velho continua GHOST.ando de ti!

"CruisCredu"!

:o)

Adriana Godoy disse...

Ah! Tonho!(rs) Será? Beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Eu não sou velho, tenho 36 anos, mas: aceita se casar comigo?

Marina Godoy disse...

adorei esse texto, esse velho e esse fantasma!

Adriana Godoy disse...

Oi, Marcos "casamento enfim não é papo pra mim", como já cantava o rei.
Mas quem sabe, tudo é possível!! hahahaha

Beijo

Adriana Godoy disse...

Tatá, fico feliz que tenha gostado. Valeu! Beijo

MIRZE disse...

Claro que o tecto é excelente!

Se é verdade ou não, não sei. Mas tive medo

Nunca percebi se tinha nada na janela da frente.

Cuide-se!

Beijos

Mirze

Adriana Godoy disse...

Pois é, desta vez é verdade mesmo. Pode deixar que tô me cuidando. Valeu, Mirze. Beijo

Papagaio Mudo disse...

Aqui, a cada elemento deve-se estar atento, ligado a qualquer nuance secretamente escondida habita o simples mistério...
Beijo.

Adriana Godoy disse...

Gustavo Papagaio, de acordo. Beijo

Adriana Karnal disse...

Adri, o texto tá tão legal que te rendeu até pedido de casamento!rsrs

BAR DO BARDO disse...

o tom meio crônica meio conto permanece adriano

sim, adjetivo

bom texto

felicidades

Adriana Godoy disse...

Karnal, essa é boa! hahahahaha

Adriana Godoy disse...

Bardo Pimenta, vindo de vc, aceito qualquer adjetivo ou forma verbal.

"como querer bardonear o que há de bom"


Beijo

Ricardo Novais disse...

Que texto incrível, aterrador. É como brincar de roleta-russa.

Excelente, parabéns!

Bjos.

Adriana Godoy disse...

Obrigada, Ricardo. Volte sempre. Bj