quinta-feira, novembro 03, 2011

estrelas da noite

rascunho para tela/ rafael godoy
a daniel rubens prado 
        (buda)

passavam sempre ali as putas
piranhas vadias maquiadas
pisavam com passos leves
purpurinas meninas mulheres

passavam ali e atormentavam
os senhores as senhoras
pudicos em seus lares e dogmas
passavam sim e eram belas e fogosas

a noite descia e trazia consigo
as estrelas- vênus das ruas
brilhavam e iluminavam
a vida e os desejos dos homens

não se sabia se eram fêmeas machos
travestidos andrógenos bichos bichas
não se sabia se sonhavam se amavam
se gozavam se seduziam se machucavam

eram estranhos seres felizes
donos da madrugada dos mundanos
dos menestréis mendigos magistrados
dos miseráveis dos mentecaptos dos mortos-vivos

na sombra da noite eram morcegos iluminados
à procura de sangue
dos inocentes ou dos culpados
vampiros imortais em seus desvãos de sedução

quando a noite se ia
e não se via mais a lua
as estrelas das noites
senhoras das ruas e dos bares
maldição de todos os lares
desapareciam nos bueiros da cidade

30 comentários:

Anônimo disse...

Lindo Adriana!
bjo
Anamaris

MIRZE disse...

DRI!

DEMAIS MESMO!

Um dos seus mais belos poemas.

Beijos

Mirze

Adriana Godoy disse...

Anamaris, bom que gostou. Bj

Adriana Godoy disse...

Mirze, vc sempre me incentivando! Beijo

Assis Freitas disse...

a urbe que ferve em seus desvãos de dessemelhança,


beijo

Luisa Godoy disse...

Dri, gostei muito dessa letra de música urbana e noir. Eu também pressinto as legiões levianas, as hordas noturnas, com fascínio e medo. Eu também me difiro e me identifico. Beijo

danilo disse...

adriana,
lindo poema, sobre as criaturas que de noite se iluminam e brilham, para à luz voltarem ao anonimato...
tenho um conto, antigo, chamado Estrelas, de 1980, sobre o tema...
já te mandei o meu livro velho(???) de contos- O devorador de palavras?
se não, maqnde um enreço, que te envio um exemplar, para vc ler coi9sas antigas- foi escrito ai em beagá, na epoca da cantina do lucas, da puc, e por aí...
grande aabraço,
danilo.

BAR DO BARDO disse...

a noite contempla

por meio das cintilâncias de cegar

vc sabe bem o tema

parabéns, de novo

felicidades!

Adriana Godoy disse...

Assis, uau! Bj

Adriana Godoy disse...

Lu, é tipo uma crônica poética, disposta em versos. Romântica, sem dúvida, mas como filha da noite,sempre sinto essas coisas.
Valeu o comments! Bj

Adriana Godoy disse...

Danilo, vai ser um prazer ler seus "antigos"...vou postar em seu blog o endereço.Bj

Adriana Godoy disse...

Bardo, criatura rara, a noite, tema pra mim, inesgotável.

Um beijo, namastê!

Guga Shultze disse...

Vim para te ver, irmazinha/ e pasmo: ainda usas Palmolive/ e ainda te amo /
começava assim, esse meu poema antigo. Entro na Internet e fico pulando pelos blogs, depois de uma longa ausência. Tem muita poesia por aí, nos lugares certos. Aqui é um. Eu fui o rei das piranhas, no bom sentido, no sentido shakespearitual, eu ficava preocupado com a existência minha e delas, por isso esse poema me auto me lembra-me de mim mesmo. Recordo, mas não acordo. Sonambulo (do verbo sonambular) pelas alamerdas da merdória. Sonhos de Uma Noite de Verão. Beijo.
Guga Shultze

(comentário antigo do Guga quando leu esse texto)
texto)

Luciano Fraga disse...

Adriana,chocante, sensível, olhar de humanidade. Certos seres recolhem-se no fim dos dias ou das noites em porões invisíveis, como ratos em descaso...Beijo.

Suzana Martins disse...

Uau!!

Magnífico!!!

Beijos

Adriana Godoy disse...

Luciano, sempre bom ler seus comentários. Uma alegria sua presença aqui, beijo, poeta.

Adriana Godoy disse...

Suzana, volte sempre. Bj

On The Rocks. disse...

adoro seus poemas urbanos.

bj

pianistaboxeador21 disse...

Gosto da viol~encia, da crueza,d esse feeling punk, Adriana. Lembrei Cazuza tb. Bonito demais.
Beijo

Adriana Godoy disse...

Buenas, vc é um querido! Bj

Adriana Godoy disse...

Daniel, quanto tempo não aparece, heim? Bom te ver por aqui.

Valeu demais1

Beijo

byTONHO disse...



Como zumbis...
retornam ao seu "céu"...!


:o)

Adriana Godoy disse...

Eiiiiiiiiiiiiiiiii, TONHO! Bj

guru martins disse...

...e deixavam
rastros de delícias
pecaminosas...

bj

Adriana Godoy disse...

Eta, Guru! Se vc diz, tá dito. Beijo

Adriana Karnal disse...

Adriana G., adoro o tom de blues da tua poesia.

Adriana Godoy disse...

Karnal, é bom saber disso! Beijo

Sylvio de Alencar. disse...

Um olhar poeticamente verdadeiro; ou verdadeiramente poético...
Bem, simplificando: verdadeiro, e poético!

Em uma época, convivendo, tive algumas mesmas impressões.

Abraços.

Adriana Godoy disse...

Obrigada, Sylvio, pela presença e considerações. Beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

Fala pro Rafael que este desenho parece a Clara Nunes, que eu amo!