segunda-feira, julho 15, 2013

estamos mais velhos, mano

(hoje é o  aniversário dele)

estamos mais velhos, mano
quando saímos daquela porta
não sabemos se vamos voltar
 os passos são mais lentos
você disse que a música era pra mim
mas minha negra cabeleira
não se mantém sem tinta escura
seus cabelos são brancos e poucos
mas você é um menino grande
e o seu sorriso se espalha na sala
em que brincamos tanto na infância

estamos mais velhos, mano
mas quando estamos juntos nos tornamos meninos
e rimos das mesmas coisas
e brigamos e choramos juntos
e nos embebedamos pelas esquinas
dividimos o mesmo cigarro a poesia
 "a noite a lua e até solidão"

estamos mais velhos, mano
e gosto de pensar que envelhecemos juntos
               e gosto de pensar que você está por perto e sempre

4 comentários:

Assis Freitas disse...

saudações ao mano, mais irmanados ainda na poesia


beijo

danilo disse...

estamos sempre ficando mais velhos
mas lá dentro
dormem os meninos teimosos
arredios
escondem-se os meninos
birrentos
barrentos
que insistem em existir
num limbo
que às vezes deixamos
escapar
em entrelinhas
em estrelinhas
que piscam, assim,.
no céu da boca da gente

saudades, adriana,
um ternabraço prá ti

Gustavo Alvarez disse...

a juventude é a dessemelhança com o mundo. Adriana eu vou pra lua. Ver os signos deleuzianos. O conceito de conceito finda na percepção que temos... temos pegado emprestado a noção de sensação de percepto.
velho jovem dentro,
jovem dentro afora,

sem,

Gustavo

Gustavo Alvarez disse...

triste Bahia, ó quão dessemelhante...