quinta-feira, março 21, 2013

um brinde à mediocridade

hoje brindo à mediocridade que insiste em permear minha vida. brindo sem bebida, sem alegria, sem orgulho, mas com uma puta melancolia e tédio. o que salva são os amigos, o que salva é a arte de cada um. essa vida tem hora que é foda. nos consome e some com os sonhos de maneira ardilosa, mesmo os mais rasos. sou professora sim. não sei se escolhi isso, mas até hoje tenho levado e pasmem, gosto disso. porém, há muito que não acredito na educação. há muito não acredito nesse sistema podre e furado, injusto, cruel em que não se investe de fato nos profissionais dessa área, nos alunos, nas escolas. muita coisa mudou. está mudando, mas meu tempo não permite que eu tenha alguma esperança. quantas greves já fiz e ainda faço? até quando terei que lutar por uma coisa que deveria ser valorizada pra caralho. saí da rede particular por opção. o sistema é terrível. não vale a pena expor todos os aspectos, acho que a maioria tem alguma noção. mas só quem está dentro de uma sala de aula é que sabe realmente o que é essa merda toda. os alunos são a melhor parte, podem acreditar. por que permaneço? por uma questão de sobrevivência mesmo. e talvez por não saber fazer outra coisa. então, brindemos, senhores e senhoras, à mediocridade da sobrevivência. pode ser que hoje quando for à escola, alguma coisa aconteça e eu pense diferente.

3 comentários:

Mauro Lúcio de Paula disse...

Adriana,
quando você faz um desabafo desse é porque ainda tem muitas coisas boas para acontecer. Você ainda acredita que alguma coisa aconteça, ainda tem alguma coisa dentro de você que lhe diz vale a pena, hoje eu brindo à mediocridade, não pense que seu tempo não permite ter alguma esperança, mas a sua força pode mover montanhas e muitas mudanças estão chegando, talvez agora você esteja vendo, mas está acontecendo... ânimo menina, ânimo!

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Quem não cola não sai da escola, e a gente continua nela porque é o nosso habitat natural.

=)
Marcos

Assis Freitas disse...

vai acontecer, tem de acontecer



beijo