sexta-feira, março 29, 2013

insônia




arte: rafael godoy

a noite inútil não terminava nunca
o sono vinha mas os olhos não fechavam
vi assombrações nos rodapés das paredes do quarto
espremidas cor de barro querendo sair
faziam sons estranhos e se moviam
criaturas horríveis desfiguradas

se cresse talvez rezasse
mas nada saía de mim
apenas o medo um frio medonho
uma imobilidade assustadora

os seres pareciam conversar
sei que alguns saíram
e deram voltas em minha casa
rodearam minha cama
nem meus gatos apareceram
se esconderam em algum armário
se acovardaram

mas finalmente chegou a manhã
fechei os olhos
dormi com a cortina aberta
o sol sobre mim

2 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Adriana,

Eu também tenho tido insônia.

;*
Marcos

Assis Freitas disse...

o que chega com a noite se dissipa ao perceber o sol,




beijo