terça-feira, novembro 27, 2012

doce caminho


 

 
 arte: rafael godoy

queria não ter essa cara amassada
esses olhos cansados
e o coração estranho

queria ser o que não fui
mas sou o passado
com o corpo podre e gasto

mas gosto de abrir a janela
e ver essas manhãs cinzas

me batendo nos cabelos

ainda posso ouvir os stones

dylan joplin tom e chico no sofá de casa
ler poemas ver bons filmes

fumar o meu cigarro sem grilhões
e beber meu vinho sossegadamente

parece que o caminho para a morte
pode ser mais doce em dias como esses

 
(republicado)

3 comentários:

Marcos Satoru Kawanami disse...

Tabaco é o melhor remédio; se não mata, cura. E dizem que vai matando devagar, mas nós não temos pressa.

Assis Freitas disse...

rio bom de navegar este teu poema,



beijo

byTONHO disse...



"Navegar por um rio de vinho!"

:o)