quinta-feira, abril 05, 2012

bestial


arte: possivelmente o autor seja rafael godoy

dri, ele me falou
saia dessa letargia
rompa a casca
me lembrei de bashô
e o que sempre quis como epitáfio:
"casca oca
a cigarra
cantou-se toda"
pensei:  foda-se mil vezes o mundo
e foda-se qualquer movimento
foda-se essa lua enorme e redonda
foda-se a a quinta, a sexta, foda-se a paixão
foda-se tudo
e recitei o verso de pessoa:
"à parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo"
não tenho sonhos hoje
não sei se terei algum dia
e foda-se se já morri em grande parte
me lembro também de ana cristina cesar:
"tenho ciúmes deste cigarro que você fuma
tão distraidamente"
e tem os amigos, os filhos
o cigarro que fumo e tem você que não fuma 
e penso que a poesia pode salvar
mas não hoje
não com esse poema bestial


22 comentários:

Lara Amaral disse...

Mas são textos assim que me eriçam!

Beijo.

BAR DO BARDO disse...

Já se safou: para o inferno!

Boa articulação!

Adriana Godoy disse...

Larinha, deixa disso, hehehe. Beijo

Adriana Godoy disse...

Bardinho querido,

se não fui ainda, devo tá chegando lá...te entendo quase sempre. Beijo

byTONHO disse...



"fo...DEU-Se a paixão!"

:o)

Suzana Martins disse...

E mais uma vez você consegue escrever o que se passa dentro de mim.

Foda-se tudo isso ali fora!

Beijos

Adriana Godoy disse...

Tonho,


hahahahahaha...fodeu-se! BEIJO

Adriana Godoy disse...

Suzana, valeu demais! Beijo

Assis Freitas disse...

belo e bestial este poema, como uma ode ao despropósito de existir, ave Adriana, evoé



beijo

Adriana Godoy disse...

Assis, gostei "o despropósito de existir". Evoé, poeta! Beijo

Marcos Satoru Kawanami disse...

fazendo birra depois dos 5 anos de idade? ;p

Adriana Godoy disse...

Marcos, foi só um dia de saco cheio. Mas já passou. Beijo

Mirze Souza disse...

DRI!

Não consegui enxergar a "bestialidade" Li o poema de uma drande poeta.

Beijos Mil

Mirze

Adriana Godoy disse...

Mirze, então tá tudo certo. Beijo

danilo disse...

calem-se ruidos estridentes
e sonhos roucos
entre dentes descansai,oh linguas
tropegas
nao chore cristaus brilhanted
oh lua infame:
oh lume celeste
cessai seubrilho
pois a poeta repousa
e nao pousa aqui agora
a leveza de lirios
deixai que o silencio quede
em sua cama branca
branda quietude
amanha virão manhãs
de luz e plenitude
e os elementais saudarao
todas as vozes
que a poesia assumir

Adriana Godoy disse...

Danilo, quando você me entrega esses poemas, o mundo fica melhor. Estou melhor, pode acreditar. Obrigada de coração.

Beijo

Luciano disse...

Foda-se a bestialidade...
Tocaste-me novamente e isso é bom.
Bjs moça, feliz páscoa!

Adriana Godoy disse...

Oi, Luciano.

Que surpresa boa vc por aqui. Tanto tempo, né?
Beijo

guru martins disse...

...quem manda ser doida
é isso aí
tem-se que cometer o ato
só ele liberta
gosto da tua doideira...
senhora do beco da lua

bj

Adriana Godoy disse...

Eta! Guru!

É assim mesmo, de vez em quando temos que endoidecer pra aguentar!

Ai! o Beco da Lua dá saudade mesmo.

Beijão, mestre.

Luciano Fraga disse...

Adriana, foda-se toda mediocridade que nos cerca...uivou como um cão danado uiva pra lua, ' contra seu dono e feitor..." Belo! Beijo.

Adriana Godoy disse...

Luciano, Como um cão danado... gostei. Beijo