sábado, fevereiro 18, 2012

entre bougainvilles e demônios



não que essa bougainville não me inspire
 ou esse bem-te-vi solitário não me diga algo
existe entre mim e as coisas lá fora um abismo escuro 
e a estrada não aponta o sol
esperava que você fosse ao inferno comigo
e me dissesse que nem tudo estava perdido
mas preferiu pegar o primeiro voo e bater suas asas aflitas
ir para um mundo em que não estou
pra quê então o telefone depois
e dizer que sente a minha falta 
cara os dias e noites são todos meus
os anjos e os demônios me pertencem
e sei que quando acordar eles vão estar lá
mas você não

43 comentários:

Andrea disse...

Ai, queria que esse abismo escuro acabasse logo, e a estrada apontasse o sol, mesmo com as noites sendo todas suas...
(ô te abandonei não, só tô perdida na confusão que minha vida virou depois que minha menina tá no vai não vai pra longe!)

Adriana Godoy disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
On The Rocks. disse...

"os anjos e demônios me pertencem"

eles são meus e ninguém a de roubá-los. quem se atreveria?

bj

Adriana Godoy disse...

Buenas,quem seria louco de roubá-los?

Beijo, querido.

Adriana Godoy disse...

Andy, é mais um poema. Tò bem dentro do possível. Fique bem. Beijo

Adriana Karnal disse...

Adri,
ir ao inferno não é pra qualquer um mesmo, putz, guria, q poema.

Adriana Godoy disse...

Ei, Karnal. Brigada. Beijo

Aqui, Sossó disse...

Parecem feitos pra mim. Mas não estou no centro do universo. Obrigada assim mesmo, irmã, pois meus demônios são os mesmos.

Assis Freitas disse...

caraca, bem na jugular


beijo

Samara Bassi disse...

Tantas vezes me vi no mesmo abismo e, a única esperança de se enxergar alguma saída era apenas aquela claridade e luz da manhã na minha tez adormecida, naquele vão entre meus olhos.
Me senti assim, como passos em piso falso e suspensos nos vazios dos dias e noites que nunca me contaram fábulas, nem cantigar de ninar.
Endemonie-me de mim e solitária andei nas curvas, em águas turvas, até alcançar a estrela que ainda guardo nas mãos... e você nem se importou.

Que o resgate, aconteça em breve, querida.

Abraços, flores e estrelas...

BAR DO BARDO disse...

precisa organizar - rápido! - os originais e publicar "o seu" primeiro livro. tem jeito, não: é isso!

bom texto, seu romantismo tem a cara de hoje - e de sempre...

parabéns!

Adolfo Payés disse...

Gracias por compartir tan preciosa poesía amiga..


Que disfrutes de esta semana que comienza..Un abrazo
Saludos fraternos..

Adriana Godoy disse...

Sosó, é assim mesmo. Beijo

Adriana Godoy disse...

Assis, espero não seja fatal. Beijo

Adriana Godoy disse...

Samara, bonito texto. Beijo

Adriana Godoy disse...

Bardo, vc é quem diz. Pode ser que ocorra, mas não sei quando. Por enquanto, aguardo o seu. Beijão.

Luciano Fraga disse...

Querida Poeta, são eles que nos movem, nos fazem arriscar, são nossos companheiros, por que não? Trazê-los pra nossa intimidade eis o desafio, "a vertigem, o abismo me atraem, é essa minha brincadeira..." Poderoso poema, beijo.

Luis Fernando disse...

É como mostra o Tarantino: poucos estão dispostos a tomar um drink no inferno

MIRZE disse...

AH! Quero ser assim.

Bárbaro!

Beijos

Mirze

carikaturARTE disse...



Ir ao inferno sozinho, é bem mais "quente"?!

Bem-te-vi não vê, viu!
Bem-te-via não verá...

:o)

Adriana Godoy disse...

Luciano, gostei de seu recado, Valeu demais, poeta. Beijo

Adriana Godoy disse...

Luis Fernando, Um drink no inferno...o Tarantino sabe das coisas. Volte sempre. Bj

Adriana Godoy disse...

Mirze, não recomendo ser assim. Beijo

Adriana Godoy disse...

Tonho, está convidado para um drink não necessariamente no inferno. Beijo

ACÊ lochnessie disse...

A paisagem pode ser bonita, verde e colorida, inpira mesmo estando melancólica e os frutos das arvores caem para serem colhidos, gostei de ler essa poesia. Beijos

danilo disse...

adriana,
seu canto de dor comove...ate os demonios se curvam a esta dor transmutada em piesia...tem um piema meu qie eh a cara desse seu
espia:

a paisagem se desdobra a minha frente
feita de leves barulhos matinais
mAs nao me importam as gentes
nem as lindas tardes outonais
em meupeito chove
rugem vendavais


poeta, tudo eh transitorio...passam as dores passam alegruas, passam os amores
passamis nós
amanha, tera um novo sol la fora
e novo amor a espreita..

Adriana Godoy disse...

Acê, beleza sua visita. Volte mais. Bj

Adriana Godoy disse...

Danilo, sempre trazendo poesia para meu canto. Os seus poemas sempre comovem. Beijo

cisco zappa disse...

insabida força a poeta desata
em nós.

gostei por demais.
evoé!

guru martins disse...

...ah
manda ele
à merda
e vem morar
mais eu...

bj

Adriana Godoy disse...

Cisco, uma alegria sua visita. Beijo

Adriana Godoy disse...

Guru, cuidado com esse convite, heim?

Beijo

otto M disse...

A imagem que ilustra o poema já diz tudo. Algumas pessoas não merecem nossa necessidade delas.

Adriana Godoy disse...

Otto, o eu-lírico agtradece. Bj

Fred Caju disse...

"esperava que você fosse ao inferno comigo", do caralho!

Adriana Godoy disse...

Fred, valeu, cara! Bj

On The Rocks. disse...

Adri,

Caetano comentou no post anterior: Rua Guaianazes, o embrião da Cracolândia. Ele assina Dulcíssima Prisão, que é o mais novo blog dele.

Bj

Vinícius Paes disse...

Adriana,

estou bem longe daqui, longe. Seus poemas continuam maravilhosos e inspiradores.

um beijo.

Adriana Godoy disse...

Paes, sinto sua falta. Não sei que longe é esse, mas espero que volte um dia. Tudo de bom pra vc. Beijo

Talita Prates disse...

Nossa, Dri........
eu... eu... eu... gostei demais disso.
interessante como sempre acontece d'eu fazer da tua catarse, minha.

Um beijo.

(Você está melhor?)

Talita.

Adriana Godoy disse...

Pois é, Talita,
assim dividimos nossos demônios e bougaivilles.

Beijo


PS; Estou melhor, mas nem tanto quanto gostaria.

Sahara Higino disse...

Anjos e demônios
nos fazem parte.

Cabe a nós
deixarmo-los
fazer alarde.

Fico a segui-la.
LUZ!

José Carlos Brandão disse...

Disse o Bardo: tem a cara de hoje.
Me lembrei de Rimbaud - descer ao inferno. Mas Baudelaire escreveu algo assim: Ceu ou inferno, que importa?
Viu? Eu tenho um pé ou dois no passado. Você tem a cara de hoje.
Feliz 2013.
Beijo.