sábado, agosto 20, 2011

o dia em que estava mulher

arte: ricardo ferrari (artista plástico/ pai de rafael godoy)

deixei de pensar quando vi você sentado nessa cadeira fria de madeira
com o ar de nuvens destoante do resto do espaço
tudo estava em ordem naquele momento
os quadros na posição correta
o chão limpo e os móveis sem poeira
a louça lavada e as roupas secando ao vento

era um dia de sol morno
os gatos estirados com a barriga pra cima
e o cheiro de limpeza no ar

tudo estava em ordem naquele momento
as plantas regadas a roupa de cama trocada
as toalhas com cheiro de amaciante
e a comida cheirando no fogão

eu era mulher feliz naquele dia
e cantava com lô:
"quando chego a fim de falar
ela dorme em frente à tevê"

estava mulher nesse dia morno
com os cabelos lavados
as unhas feitas
e sem pelos nas axilas
e sem pelos nas virilhas e nas pernas
a pele macia com cheiro de manhã

você estava sentado nessa cadeira fria de madeira
e eu não pensava em feminismos ou em literatura
nem nos amigos que estavam ali perto
bebendo no bar da esquina

eu estava mulher feliz naquele momento
e tudo estava em ordem
por um dia naquele dia
era mulher feliz
sua mulher
por apenas um dia







23 comentários:

MIRZE disse...

NOSSA que lindo!

Só por um dia? Ah como é bom esse encanto de se sentir mulher até que vem um malfadado(a) e estraga tudo.

Beleza de poema, DRI!

Beijos

Mirze

Adriana Karnal disse...

Adriana,Que lindo, um dia pelo menos a gente deveria sentir assim

Luciano Fraga disse...

Adriana minha querida, arrasador! tão penetrante, puro e loucamente femenino... um estado de completude tamanho que poucos homens entenderiam.E os lábios convexos esperam, esperam...Esperam? Beijo.

Wania Victoria disse...

Dri

Tudo estava em ordem naquele momento...


E a tua poesia "clicou" perfeitamente a felicidade daquele dia! Muuuuito linda!


Bjs
PS: família de artistas, parabéns aos 3!!!!

Adriana Godoy disse...

Mirze, pelo menos por um dia...beijo


Karnal, pois é...Beijo


Luciano, boa, como sempre, a sua percepção. Beijo, querido poeta.


Wania, brigada...o filho puxou ao pai...Beijo

guru martins disse...

...por apenas
um dia é muito pouco
e pode aflorar
ressentimentos
ou pegar o cara
desprevenido...

bj

Adriana Godoy disse...

Guru, a ideia é essa...Beijo

Lua Nova disse...

Essa é a receita da felicidade. Estar onde se está, ser quem se é, viver a vida que se tem pra viver e se sentir em paz!
Tudo estava em ordem... mas não era a casa, a roupa, a comida... era a alma!
...a pele macia com cheiro de manhã...
Muito, muito lindo!
Saudades! Uma semana tal e qual seu poema pra vc.

Beijokas.

BAR DO BARDO disse...

não considero fácil
produzir
a sensação
da simplicidade

lô e todos da esquina gostariam

beijo!

Leonardo B. disse...

[é no momento, no dia breve que nasce a eternidade, como um parto sem dor, tão breve, que chegando parte]

um imenso abraço, Adriana

Leonardo B.

daufen bach. disse...

Olá Adriana,

lendo teus coments no blog... desculpe a demora em vir "pitar" um pouco de teus versos. Também fiquei afastado um tempo da net, dos blogs... agora, timidamente, voltando...

sabes que sou teu fã, teus versos sempre tem um dose de espanto, de algo novo, um prazer ler-te em qualquer momento... esse poema, em particular, está uma obra prima...qtas imagens bonitas. Parabéns viu!

Beijo procê moça mineira! te cuida!

(sorri do comentário da Mirze... malfadado...rs)

danilo disse...

adriana,
sempre uma viagem vir aqui...
este seu jeito de escrever, assim tão simples e ao mesmo tempo tão complexo...
enxergo você como uma outra adélia prado,um outra cora coralina, dessas mulheres que tiram poesia das situações de todo dia...
poesia do cotidiano, auqueles versos que expressam sensaçoes que vivem em nós, mas que complicamos...
muito gostoso ler seus poemas,
esse, particularmente, traz paz...
abraços,
Danilo.

Adriana Godoy disse...

Lua Nova, Bardinho, Leonardo B., Daufen, Danilo,


Como já disse algumas vezes, não me considero poeta ou coisa que o valha. O que faço é tentar extrair do dia a dia algum tipo de emoção, às vezes, despercebida ou não expressa, colocar algumas sensações que sentimos nas coisas mais simples da vida.

Quando o Danilo(grande poeta) diz que eu o faço se lembrar de Adélia ou Cora Coralina me sinto radiante, mas, ao mesmo tempo, e sem falsa modéstia, meio constrangida.

Mas quem lê o que escrevo é quem sente e o sentir é livre ainda.

Então, agradeço seus olhares atentos, suas percepções e me sinto mais à vontade pra colocar na tela essas coisas.


Um beijo

Marina Godoy disse...

faço minhas as palavras do Danilo! do início ao fim

Renata de Aragão Lopes disse...

Melódico, Dri...
Que leitura boa!

Beijo,
Doce de Lira

danilo disse...

adriana,
de inicio, obrigado pelo parênteses- não sou grande poeta nada-apenas tento expressar sentimentos por meio de palavras- que gosto de fazer soar coomo passaarinhos- ascho que é meu estilo: dar voz às palaavras- ora sussurros, ora gritos, ora pios e miados, uma paoesia meio sinestésica...
asgora, quanto à minha citação de cora e e adélia, a comparaação é mais do que perfeita-´você tem a simplicidade da primeira no trato das coisas simples, e também a leveza da segunda - quer até das tragédia constrói poemas belos e pungentes...
gosto ademais de ler seus poemas, seus textos...
demais...
grande abraço, poeta

danilo.

Aline disse...

simples assim...

que bom ser feliz por qualquer eternidade.

José Carlos Brandão disse...

Adriana, leio a poesia de um dia como de uma vida. Como sugere a Aline, um dia feliz é a eternidade.
Um beijo.

Lai Paiva disse...

Que lindo Adri, muito mesmo! Adorei! Beijo

On The Rocks. disse...

tudo pode mudar em apenas um dia.

bj

byTONHO disse...



Coisa RARA... 'CARA'!
"Felicidade assim... só na propaganda de margarina!"

Desejamos, como ser, sempre!

Assim sejam... outros dias!

:o)

guru martins disse...

...hahahaha...
ainda não cheguei lá
foi só uma brincadeirinha
com os de 60...

bj

Cartas de Julieta disse...

Nas pontas dos dedos a poesia de quem sabe que o amor é revelado no cotidiano e nas suas certezas... Amor com gosto de pão com manteiga e café com leite. Um amor lindo de se viver. Obrigada, pela partilha.