quarta-feira, junho 03, 2009

lobos


quando lobos da cidade com seus olhos de neon
sobem solitários a ladeira fria do bairro
mesmo que não tenha lua e a noite seja de ventos
pensam em suas vidas na fumaça e no uísque que deixaram nos bares
nas mulheres que beijaram e juraram ser únicas
pensam que amanhã pode ser diferente mesmo sabendo que não
entram em casa e olham suas mulheres
dormindo amassadas e quase puras e os filhos no quarto ao lado

esses lobos viram anjos subitamente
vestem a camiseta branca e escovam seus dentes
como a limpar os restos do pecado
desejam bons sonhos em silêncio
se enroscam em suas mulheres sob o edredon macio

à noite se esquecem e voltam aos lugares perdidos
beijam mais mulheres e bebem mais uísque
marcam seu território com mãos, línguas e histórias inventadas
e a lua aparece azulada e tímida
esses lobos uivam e seus olhos são de neon

42 comentários:

Bea - Compulsão Diária disse...

Lobos de neon surtam em Kama Sutra embriagadoseqto suas mulheres tem cara de santa , mas qdo a saia levanta..são as melhores putas;;))
Ai, Adriana esses lobos agora competem com a imagem do urso.
Essas suas imagens são meus fetiches!
Eu ando olhando sua foto nova. antes era o cigarro,. agora tem outra coisa na sua boca...o que é? ;))

Mirse disse...

Adriana, minha amiga querida!

Quão certeira aponta tua flexa.

Cenas tão iguais, em não menos iguais rituais.

Maravilhoso!

Parabéns, poeta!

Beijos não uivantes

Mirse

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Lobos marcam território, mesmo vestindo depois a brancura de qualquer coisa. E nisso a lua continua enchendo!

Até mais

Jota Cê

Adriana Godoy disse...

C.D., sou mulher dada aos prazeres mundanos, como quase não fumo mais, ainda tomo cervejinha(é o que está na minha boca). Seus comentário me deixa envaidecida. O urso e os lobos. Boa, Bea. Bj

Mirse, obrigada mesmo. Um beijo.

Rebeca e Jota Cê, valeu.

Adriana Godoy disse...

errata "seu comentário me deixa"

tania não desista disse...

adriana!
esses lobos...esfomeados...famintos...
provocam...dilaceram sentimentos...
e ainda ...fingem amor...debaixo do edredom! FANTÁSTICO! e aprontam na surdina!
bj
taniamariza

daufen bach. disse...

risos...

(tu tá sabendo das coisas! me diga qual foi o lobo linguarudo que andou soltando os segredos da alcatéia...kkkkkkkk)

aqu brincando.

tua poesia me encanta, é inegavelmente diferente. já disse isso um monte de vezes, acho aque acabo sendo repetitivo...não que vou fazer é apenas aplaudir...rs

Parabéns a ti

daufen bach. disse...

errata; "entao o que vou fazer é..."

Talita Prates disse...

Grata, Adri!
Belo post, viu!
Volteeeee sempreeeee.
Bjo e paz.

Cynthia Oliveira disse...

Lin-do!
Ah, me convidei a ser uma seguidora dessa sua voz, pode?!
bjs.
Dia lindo pra você, com uivos e sinos! Lindo, lindo, lindo esse seu post.
Cynthia

Vinícius Paes disse...

os lobos vezes são tão charmosos.

Um lindo poema Adriana.

beijos.

O Profeta disse...

Mil caminhos
Esta viagem sem velas nem vento
Este barco na bolina das ondas
Esta chuva miúda transborda sentimento

Amarras prendem o gesto
Arrocham um coração que bate incerto
Uma gaivota retoca as penas com espuma
Levanta voo em rumo concreto

Partilha comigo “100 Anos de Ilusão”


Mágico beijo

Luciano Fraga disse...

Adriana,precioso e preciso.A intrincada rede de vida e suas mentiras entrelaçadas."O rio bebe montanhas, o mar vomita segredos e a lua feito um farol clareia meu desespero..."Os lobos às vezes são silenciosos... Beijo.

Luciano Fraga disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
BAR DO BARDO disse...

Paizinho do Céu, não existem homens, digo, lobos assim... Isso porque as lobas é que mandam nas florestas e nas cidades.

Obrigado pelo texto, Adriana, porque ele é bom e porque você me fez lembrar de alguns trechos de "Caninos Brancos" (White Fang), do Jack London.

Felicidades! Beijo!

Bea - Compulsão Diária disse...

Adriana, eu também! Sem eles - lobos, prazeres mundanos , enfim a vida fica chatérrima!;))A eles, então.

Adriana Godoy disse...

Tânia, eles não fingem, eles amam mesmo...à sua maneira.haha. Bj

Daufen, assim, menino, não sei não...vou ficar convencida. Obrigada e beijo.

Talita, obrigada, volte sempre. Bj

Luciano Fraga, assim é covardia, sempre seus comentários dão uma aula de poesia. Beijos, poeta.

Bea, concordo e assino embaixo. Beijo.

Pimenta, existem sim e como!!! Há também as lobas...mas isso é outra história. Não conheço "Caninos brancos" e nem o ator(Santa Ignorância!!) vou procurar. Beijo.

Anita Mendes disse...

Wow , drika. esse texto chamo de socio-antro-psico:lógico. Você desvendou o arquétipo masculino em poema de uma maneira brilhante!

"vestem a camiseta branca e escovam seus dentes
como a limpar os restos do pecado
desejam bons sonhos em silêncio"

o ritual é secreto e sagrado,perpetuando-se nas camas, bares e nas mocinhas "imaculadas"que se deixam levar pelo mito.

Ps: Vc já leu Mulheres que correm com lobos?tem muito haver com isso.acho que vc iria gostar!
Beijos pra ti, drika.
belo texto!
Anita.

Adriana Godoy disse...

Anita, pô, que comentário, heim?? Assim não vale...Obrigada mesmo. Beijo.

PS: Pra falar a verdade, já passei os olhos em algumas partes, mas não é o tipo de livro que me desperta interesse, viu? desculpe a franqueza. bj

Anita Mendes disse...

kkkkkkkkkkk!
ai drika, vc é demais!
beleza!
e vc nem pecisa,até dessa dança vc já
conhece!
beijos pra ti.

José Carlos Brandão disse...

Adriana, existem lobos porque lobas existem. O homem é o lobo do homem? Também é o lobo da mulher, que é a sua loba. E se entredevoram. A vida seria muito chata sem toda essa sensualidade.
Gostei do seu poema, de como provoda reflexões, e prazer sensual no próprio ato de ler - excelência da poesia.
Beijo.

Monotributo disse...

siii YO el dueño y SEÑOR de la humildad y modestia...el emperador de la perfeccion en quien la naturaleza y belleza se desplomo en MI..el niño mimado de todo el cosmo y de brasil tambien...el creador de la lengua española (entre otras) e inventor de los sostenes (para tus caidos mamucha) en pocas palabras el amor de mi vida y la tuya (YO)...te regalara otro pensar del genio es decir YO y dice guapa...los rios y mares nos juzgaran por no haberlos cruzados para encontrarnos..nuestra defensa seran los vientos..testigos fieles..por haber sido ellos quienes juntaron nuestras voces por encima de ellos..princesa guapetona

Cadinho RoCo disse...

Deliciosa conjetiura em querer perceber entender os lobos, animais tão espertos quanto certeiros em suas investidas.
Cadinho RoCo

Renata de Aragão Lopes disse...

(risos)

Como me diverti com o bravo poema e cada um dos comentários...

Aproveito o ensejo, para complementar as palavras de José Carlos Brandão: sim, existem lobos e lobas (em deliciosa libertinagem). Lamentável é que haja vítimas: as mulheres que dormem amassadas e quase puras, os filhos no quarto ao lado. A postura da alcatéia é preocupante...

Sem mais, Adriana! Repito: sua imaginação me espanta! (risos)

Um beijo.

nina rizzi disse...

:D adriana segue beat. sabe o quando apre-cio. acho que sou uma loba. não é à toa que avulso por aí... mesmo sem lobas ou lobos. só fumaças.

beijuuuuuuuuuuuhhhhhhhhhh :)

Guru Martins disse...

...nossa
lobsomidade
é intrínseca
à natureza
do macho
em uns mais
em outros menos
mas tá lá...
e voce percebeu

bj

Priscila Lopes disse...

Adriana, "bárbaro" teu texto!

Adriana Godoy disse...

José Carlos,
Monotributo,
Cadinho,
Renata,
Guru,
Priscila,

Obrigadíssima pelos comentários e visita.
È muito gratificante. Beijos.

Tania Nascimento disse...

Ah, lobos - cabra safados!!!- [in off].

Gostei. Tipo um mini-conto, onde quarquer semelhança [com tais cabras] é mera coincidência!!

Risos!!

Beijos!

Taninha

Cristiane disse...

Nossa! Que retrato mais autêntico desses "lobos" noturnos que invandem...

Grande Beijo!

Aline Christal disse...

..eu gosto de lobos e lobas. Principalmente quando tudo acaba em camisetas brancas jogadas pelo chão....rs.

On The Rocks disse...

olá adriana,

ando sumido, é verdade. tô sem internet em casa e o tempo anda curto, mas sempre que posso, dou um pulo nos meus blogs favoritos pra dá um alô.

vejo que por aqui tudo continua massa!

bj

Adriana disse...

Adriana,
Terei que concordar com o Henrique P, aqui vc está Ginsberg...loba solitária, poeta de neon...adorei tuas luzes.

Ígor Andrade disse...

Sou lobo solitário e cego, hoje!
Abraço!

pianistaboxeador21 disse...

Às vezes é foda esse espelho de homem!!! dói saber que no fundo somos mesmo vazios.
Desculpe ter desaparecido. Trabalho demais. Sou professor e tenho de trabalhar em três escolas pra dar uma vidinha mais ou menos às crianças. Dias atrás eu-máquina quase pifei, mas em breve voltarei e quero ler tuas coisas que ficaram pra trás.
Beijo.

Mauro Lúcio de Paula disse...

Adriana,
gosto muito mais da observadora e inteligente mulher que está atrás de uma poetisa que sabe construir imagens maravilhosas como: "e a noite seja de ventos" ou "desejam bons sonhos em silêncio" gostaria muito estar numa noite de vento e sonhar silenciosamente. O que eu quero dizer é que você é linda por dentro e bela por fora. Parabéns pelo espelho que reflete o que vê.
Mauro

Marcia Barbieri disse...

Trágico olhar para esses homens-lobos que dormem ao lado...seus poemas são sempre incríveis.

beijos ternos

Carla disse...

Meu lobo q se cuide...

fred disse...

É magnífico este poema.
Ótimo fim de semana, Adriana.
Beijos

Devir disse...

Homem lobo, lobo homem: lobsumidade(meio crédito ao Guru Martins, que garoto(?), mandou muito bem), ou, mulher loba, loba mulher: lobsomaticidade(acho que flertando com a Anita Mendes).

Se colocarmos as fotos de Ginsberg e a sua, eu diria: falta tudo no finado, mas em lado a lado, o poema Uivo e poema Lobos, eu diria: falta um pouco apenas para Lobos, porque tenho a sensação que é só uma questão de quantidade de informações, ou da diferença no gênero sexual e suas adversidades na formação(vide o próprio poema da Adriana Godoy); créditos totais à Adriana.

Finalizando meu comentário aos comentários tambem, diretamente chamando os comentadores, diretos e indiretos, para a conversa, digo:
É com muito prazer que revejo este olho, Cristiane.

Ja pertenci a tal definida alcatéia e a abandonei, após concluir que não passa de uma esparrela, impondo aos envolvidos uma penosa pasmaceira.
Atualmente, continuo uivando no melhor sentido, porem quando(só Deus sabe porquê) volto para casa, acompanhado ou não, tomo banho, escovo os dentes, sempre me alimento o corpo e a alma, um ritual talvez para desamassar o rosto do melhor da vida.

Aquele abraço, Adriana Godoy

Adriana Godoy disse...

A todos a quem não agradeci, agradeço agora. Só hoje pude ler os comentários com mais calma. Valeu! Os lobos, ah! esses lobos...

Devir, quem foi lobo nunca deixa de sê-lo, mesmo que na alma...e Ginsberg deve estar revirando no caixão. Quem sou eu ? "Uivos" é um marco na poesia, atingiu uma sociedade inteira podre e decadente. É uma obra prima. "Lobos" é apenas uma visão simplista de determinada percepção.

Obrigada pelo comentário. Volte sempre.

Devir disse...

Adriana Godoy, como está?

Quanto a sua afirmação sobre "UIVOS", é um ponto de vista compartilhado com 99% dos leitores do poema. Mas se voce tomar o título como guia para viajar pelo poema, verá em Uivos uma repetição interminável de mágoa particular, que, apesar de brilhantemente poética, não faz o meu gosto.
O marcante, daquele poema, deveu-se simplesmente ao fato de que, na época, toda aquela sociedade se sentia magoada, por ter engolido um embuste de civilização que a fazia mal,e, igualmente, reforçado pelo problema da mãe, o Ginsberg teve coragem de vomitar a sua, entrando para a História, junto com seu poema, como sublimação(psicanalise).

Há quem defenda a sublimação, não só na poesia, eu prefiro enfrentar o problema, encontrar uma solução, para que jamais se repita.

Tambem não gosto muito de Wlat Whitiman, poeta nada magoado, escolheu apontar um caminho.

O seu poema Lobos, nem sequer resvala numa questão de mágoa, é tão ao contrário disso que até parece à favor da situação apontada, e, para quem se sente em mágoas, o último verso já diz tudo, antes de procurar em outro lugar uma sublimação sempre possível e paliativa, tambem, como o Whitiman, aponta um caminho: observar bem a situação e encontrar o que tem, sempre há, de sublime; os "olhos de neon".

Valeu, voce é muito bonita