sexta-feira, maio 29, 2009

irreversível

não tire de mim o encanto desse dia
ainda que seus olhos me implorem
e seu corpo se ausente
as lembranças são minhas
e você não pode fazer mais nada
quando a noite me engolir de vez
é esse dia que lembrarei
e você não pode fazer mais nada
mais nada

(imagem do filme: o homem que não estava lá
/
renè magritte)

38 comentários:

BAR DO BARDO disse...

há um sujeito lírico apaixonado bem aqui no texto 'irreversível'...

está até com um toque medieval...

que bacana!

e nem há mais o que fazer.

beijo, adriana ginsberg!

nina rizzi disse...

querida, é ótimo. dialoga com isso, veja >>

amor,
ah, desculpe, se te firo, digo
: amiga

(ainda que aqui permaneça
e seja sempre amor
uma parte-toda história minha,
e mais, hein
: o amor é meu e foda-se você
se não o quer,
é em mim que ele está
e independe de você)

então, amor,
é que comigo não tem essa
de se re-encantar do desencanto,
ou se está e quer e é
ou nada disto basta.

eu não sou brincadeira
(apesar de me-nina
sem eira nem beira)
: uma pipa que sobe em
altos ventos voos
cai no mormaço
e corta a linha
quando tão alta.

pode me chamar de
pândega, quadrada
ou tudos que sonhar,
mas eu tenho um nome
muito meu, viu!
não sou um teu
iô-iô
que vaievem.

e aí
vo(u)o ou (r)acho-a?
*

no mais, já viste "adaptação", dos cohen brothers?

beijo. amolha :)

Adriana Godoy disse...

do bardo, você e suas análises literárias...gostei muito. bj

nina, tudos a ver de verdade...acho que vou publicar o seu e esconder o meu...bj

José Carlos Brandão disse...

Forte. Como quem não quer nada. Como quem faz prosa. Quase como quem desabafa.
Encantador. Quando v. diz "Não tire de mim o encanto desse dia", v. encanta. Carpe diem. Aproveite o dia de hoje que o futuro só Deus sabe. Ainda que viva só de lembranças. Oras, somos memória. Isso ninguém rouba de nós.
Beijo.

nina rizzi disse...

vc não vai fazer isso, não, maluca! rsrsrs..

esqueci de falar. essa imagem do filme, é uma tela do renèe magritte. um dos meus preferidos :) aproveitei a idéia e fiz algo pra ele também :)

beijo, amolha :)

Adriana Godoy disse...

Que bonito seu comentário. É muito encantador.É mais que o poema. Beijo e obrigada.

Adriana Godoy disse...

José Carlos, o comentário foi pra você.

Nina, vou dar o devido crédito ao artista. Vou conferir lá. Bj

Anita Mendes disse...

É vero drika.a única coisa que somos realmente donos é da nossa vontade.
Isso ninguém tira da gente.
lindo!
"não tire de mim o encanto desse dia
ainda que seus olhos me implorem
e seu corpo se ausente "
amei essa parte.
beijos pra ti.
Anita.
ps: arrazou na imagem.

Anita Mendes disse...

depois de escrever, li os outros comentários e concordo com o José Carlos Brandão. Faço das palavras dele as minhas.
Beijos.

tania não desista disse...

que lindas imagens adriana,
e´isso ,as lembranças...são nossas!
encantos transformados em lembranças... é bonito demais!...ninguém tasca ,ninguém tira.
bj
taniamariza

Inominável Ser disse...

Inominavelmente, Adriana, há nesta prosa poética uma urbana atmosfera noir... Tu aprecias filmes noir, Adriana? Ou tu és um filme noir, Adriana? Ou tu és o noir dos poéticos filmes saidos de vossas mãos, Adriana?

Marcia Barbieri disse...

Lindo o poema e amo Magritte.

beijos ternos

Mirse disse...

Lindo, Adriana!

Quem não já repetiu isso para si, atire a primeira pedra.

Querer dominar memórias e lembranças....conheço esse filme!

É triste, é noir!

Belíssimo!

Amei!

Beijos

Mirse

Talita Prates disse...

Que texto bonito!
Gostei.
Espero que "o seu dia termine bem"! rs
Carpe diem!
Bjo, e paz.

Cynthia Oliveira disse...

É Adriana, ninguém pode segurar o que há por dentro; não há voz que sempre cale ou vez que nunca chegue.

"Ora doce, ora amarga...", é. caríssima poeta, você me entendeu. Obrigada por me "ver" nos meus textos.

bjs.

Lou disse...

Passando para me encantar...

Sim... as lembranças são [nossas] e não há nada a ser feito.

Mui belo!

Bjs

Cosmunicando disse...

que maravilhosa irreversibilidade... aquela lembrança que não pode ser roubada.

beijos

Guru Martins disse...

...muuuuito
bem Adriana...

bj

Renata de Aragão Lopes disse...

"não tire de mim o encanto desse dia"
"as lembranças são minhas"
"você não pode fazer mais nada"

Há uma parte de nós realmente indevassável! Como é bom saber disso... Desse nosso mistério intencionalmente guardado, preservado de qualquer interferência alheia.

Adorei seu texto!

daufen bach. disse...

Caramba!!
rs.
gostei disso:

"(...)as lembranças são minhas
e você não pode fazer mais nada(...)"

isso ninguém leva, que roam as unhas,
que mordam o dedao do pé, mas as lembranças, estas...saõ nossas!

abraçao procê!

daufen bach.

Adriana Godoy disse...

Anita,
Tania,
Marcia,
Mirse,
Talita,
Cynthia,
Lou,
Cosmunicando,
Guru,
Renata,
Daufen, O comentário de cada um de vocês faz brilhar a minha estrela. Cada um, uma forma especial de ler. Isso é muito bom mesmo. Obrigadíssima. Beijos.

Inominável Ser, sim sou da noite, vim da noite , adoro a noite e filme noir. Beijo e obrigada.

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Luciano Fraga disse...

Adriana, interessante certas fazes em nossas escritas, como certos elementos predominam em imagens ou palavras em nossas poesias, vejo sua fase atual muito vinculada à força dos olhos, maravilha como sempre, abração.

Anônimo disse...

Dri,
te adoro,
a cada coisa que você escreve, você tem me mostrado cada dia mais sua grandeza!!
Pô, primova, você é DEMAIS!!!!!
Dos Boschi a MELHOR!!!!Bjs
Andrea

Adriana disse...

a noite engole, as lembranças te engloem.Teu poema absorvi gole a gole. Adorei porque não há na que possamos fazer com o que já é nosso.bj Adri.

Cadinho RoCo disse...

É sempre estarmos com tudo nosso em nós.
Cadinho RoCo

Ígor Andrade disse...

O encanto está em ti. Bonito!
Abraço, Adriana!

Adriana Godoy disse...

Rebeca e Jota Cê,
Andrea,
Xará,
Cadinho,
Ígor, obrigada por suas visitas e comentários. Bom demais da conta, sô!!!

Luciano, interessante sua percepção, como sempre. Beijo.

[ rod ] disse...

Mesmo em fase terminal... nossa lembrança ainda aguça e é, certamente, só nossa.

Bjs moça,






Novo dogMa:
sanCiono...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Bea - Compulsão Diária disse...

Para o bem e para o mal a lembranças são indeléveis! E nossas.
aqui para o bem e encantamento da poesia.

Vinícius Paes disse...

pois bem, que assim seja.

Seus texto me inspiram cada vez mais Adriana. Lindos e isso é irreversível.

beijo.

Tomaz disse...

Lembranças... essas parecem brotar, não? dificil(impossível) conter, é nosso, intenso e bonito!

Beijão.

JC disse...

As lembranças ninguém as pode tirar ou arrancar. São nossas. Estão na nossa mente, no nosso coração. Fazem parte de nós, das nossas vidas.
Sempre adoro o que escreves e sobre o que nos fazes reflectir.
Beijinos

JC disse...

Olá Adriana!
A nossa amizade vai perdorar, apesar do Atlântico pelo meio.
Estive apenas algum tempo ausente por motivos pessoais.
Beijinhos

Carla disse...

Ninguém pode fazer mais nada: esse poema é demais e é seu!!!

Pulguinha disse...

Nosssssssssssssa. Não sei escrever, algumas pessoas fazem. Agora este escrito é meu, aliás, do mundo. Publica Adriana, algumas pessoas precisam disto para viver... bjo

Pulguinha disse...

Pulguinha sou eu, Anamáris

Adriana Godoy disse...

Ei, Ana, ainda não estou preparada para isso e nem sei se estarei algum dia. Mas continue visitando o meu blog, vou gostar muito. beijo.