segunda-feira, dezembro 22, 2008

véspera


de noite veio um bêbado
cantando no meio da rua escura e chuvosa
trombou numa árvore enfeitada de luzes de natal
e ficou olhando aquela coisa iluminada
sentado na calçada com a garrafa em suas mãos
pensou que tivesse em outro país
começou a cantar em inglês uma velha melodia
viu neve onde havia chuva fina
e um cão perdido de rua era sua rena
adormeceu sorrindo
e de manhã já era natal

10 comentários:

On The Rocks disse...

Adriana,

Massa!

Esse é dos meus.

Estando bêbado, nunca me esbarrei em árvore alguma, mas já errei o caminho de casa!

Abraços.

Imprensa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Thaís Nóbrega disse...

fiquei imaginando as luzes de natal pelo ponto de vista dele.

deve ter sido um belo momento.


adorei isso aqui, posso te adicionar?

feliz natal!

Luciano Fraga disse...

Bom demais, já aconteceu destas aventuras noturnas, mais nunca amanheci natal,demais sua poesia viu...Abração.

pianistaboxeador21 disse...

Bonito demais. Natal e bêbados: uma combinação lírica explosiva.

Abração,

Daniel.

Barone disse...

Lírico.

V.M.Paes disse...

Bebâdos natalinos, sou fascinado por eles. Muito bom isso aqui. rá.

Miguel Barroso disse...

Belo mini conto. Gostei.


Abraços d´ASSIMETRIA DO PERFEITO

BAR DO BARDO disse...

É um canto paralelo. Bem expressivo.
- Pi

Guru Martins disse...

...lindo!!!

bj