domingo, março 02, 2008

Os pássaros

Foram chegando um a um e pousaram em minha janela.
Como "Os Pássaros " de Hitchcock. E cada um encontrou o lugar certo.
Diferentemente, meus pensamentos chegaram confusos. E não encontraram o pouso desejado.
E eles ficaram pelo ar, viravam minha cabeça. O dia e a noite eram iguais. Não havia trégua. A guerra se dava ali. Ininterrupta, lancinante, cruel.
Finalmente, um dia eles se foram.
Foi quando olhei para aquele lago azul e manso de seus olhos.

3 comentários:

Anônimo disse...

É...foram chegando as suas palavras.
Gostei. Bj. MR

Cunhadão disse...

Nem sei o q dizer..
Por isso obvio: BOM DEMAIS!
Bj

Luisa Godoy disse...

Que bonita a sua descrição da guerra mais cotidiana de todas, e da qual ninguém trata - as frequentes batalhas mentais. E que lindo o final do poema, a maneira pela qual você vence as batalhas, ou simplesmente as apazigua - com amor. Beijos.