domingo, novembro 18, 2007

Nunca

Você, amor, escondeu-se atrás da árvore
Aquela que subíamos quando crianças
Onde contávamos os nossos segredos
E chorávamos os nossos medos

Você disse que nunca cresceria
E como Peter Pan na Terra do Nunca
Nunca me deixava sem o seu pó mágico
Voávamos sobre as cidades
Entrávamos pelas janelas

Era sua fada e você meu encantador
Inventávamos o mundo
Para que ficássemos juntos
As suas mãos me ensinavam
As melhores brincadeiras

Juramos amor eterno
E gravamos dois nomes
em um coração amarelo
no galho mais alto

Agora te vejo, amor
Atrás da árvore
Atrás do que fomos
Atrás do que perdemos

4 comentários:

Daniel disse...

Dri (se me perdoa a intimidade), o texto está traduzido aqui: http://pedrodoria.com.br/2007/11/18/jon-lee-anderson-e-sua-treplica/

Lê lá, que é demolidor de ilusões.

abraço.

Anônimo disse...

Pode ser, outras, a vida leva , sem pagode eu acho, a gente pra outros lugares, quem dera quiséssemos ir... Basta soprar o vento que a gente vai pra onde der...
sinto muito que a maior parte das vezes a gente foi...
mesmo que seja sem querer!

Cunhadão disse...

CHOREI!!!!

Louca disse...

Gostei demais.