terça-feira, junho 30, 2015


quando a noite veio me esmagar com suas mãos frias
quando não tive saída abri a porta da sala

e você entrou

seus olhos eram mais gelados
que o silêncio dos pássaros noturnos
mas suas mãos ágeis deixaram em mim
o gosto quente e claro das manhãs de inverno

Um comentário:

Gustavo Alvarez disse...

concretista