quarta-feira, outubro 24, 2012

o ar frio que entrava pela janela





arte: rafael godoy


mais de uma vez ele me disse
que havia solução
que nem tudo estava perdido

mais de uma vez ele apagou a luz ao sair
me deixou na escuridão do quarto
e pôs Milles Davis para tocar

mais de uma vez ele me cobriu com o edredon
colocou a mão na minha testa
para ver se eu estava com febre

mais de uma vez me beijou com olhos selvagens
me chamou de vadia de louca de perdida
e deliramos juntos no deserto de nossa cama

mais de uma vez ele chorou
olhando as estrelas

mais de uma vez jurei mudar

era só uma questão de tempo

mas depois de mil e uma noites
depois de apagar a luz do quarto
ele se foi

ficaram as estrelas
ficou a noite
e o ar frio que entrava pela janela

(republicado)

6 comentários:

Assis Freitas disse...

um rastilho de pólvora nas lembranças,



beijo

Tania regina Contreiras disse...


Ler e sentir: um arrepio do frio que a gente sente e nem sempre sabe dizer. Gosto imensamente do teu estilo.
Abraços,

Adriana Godoy disse...

Assis, pois é, um rastilho de ar, de noite. Beijo

Adriana Godoy disse...

Tania, valeu demais! Beijo

BAR DO BARDO disse...

construção para definir a infinita composição de um só átomo

gostei bastante

:)

Adriana Godoy disse...

Bardinho, um beijo.