terça-feira, fevereiro 22, 2011

Encontro Desmarcado


Toda vez que penso em ir a um médico me desespero. E hoje vou ter que ir. Não dá pra adiar o inevitável. O ano inteiro enrolo; marco, não vou, invento desculpas, qualquer uma. Mas hoje não escapo. Sou mulher, porra. Tenho que fazer aquele exame ginecológico. Esperar no consultório, ler aquelas revistas horríveis, ver mulheres entrando e saindo. Enquanto espero, imagino várias maneiras de fugir dali. Nesses devaneios, a secretária chama meu nome.Não, não, não!! Mas é tarde. Não tem mais jeito. Quando entro, a médica com todas aquelas perguntas a que não quero responder: Continua fumando, tá fazendo dieta? Parou de beber? Olha o colesterol!! Tá no limite! Precisa fazer reeducação alimentar, você está acima do peso.Tento contornar e digo que vou tentar, desta vez, vou conseguir. Então, ela diz: Pode pôr o avental e se deitar. Olho para a mesa, uma cama de tortura. Dois apoios para o pé, distantes, opostos. Preciso fazer alguma coisa, gritar, chamar alguém, mas desisto. O avental é aberto na frente. Tenho que abrir, literalmente, as pernas. Fico dura como um tronco. Travo. ! Em outras situações isso é natural! Mas não é o caso! Sinto algo frio entrando em meu ventre. Aquele instrumento gelado de metal, o gel, a barriga sendo apalpada, agora os seios examinados, tocados. Finalmente, ela diz: Pode se vestir. Corro pro banheiro, ponho a roupa o mais depressa que posso. Quero sair voando dali. Tenho um encontro com um amigo, em um boteco, ali perto. Mais tarde, quem sabe, vou ter que tirar a roupa de novo, em outra situação. Relembro a consulta. Talvez o encontro fique para outro dia.

PS: Texto republicado, mas amanhã tenho consulta. Argh!!

11 comentários:

Henrique Pimenta disse...

Boa sacada. (E boa sorte!)

Lara Amaral disse...

haha... vc conseguiu fazer humor dessa situação horrível de ginecologista. Aff... mulher sofre!

Beijo, boa sorte na consulta, rs.

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Tensão do começo ao fim. Passa a idéia de que é quase uma violência... excelente construção...

Celso Mendes disse...

Coisas do universo feminino. Console-se em saber que não é menos constrangedor do que uma consulta de rotina de um homem com o urologista...

Desculpe, mas gostei do texto! rs

Cosmunicando disse...

ai, que encrenca isso... e eu tenho consulta amanhã! é verdade!!
rsrs
estava meio que desbaratinando mentalmente, mas teu texto é totalmente o que acontece :)
bjos

José Carlos Brandão disse...

Argh!!
Mas boa sorte!
bj

Mirze Souza disse...

DRI!

Magnífico texto. A realidade e nossos medos. Há anos não vou. Me recuso.

Boa sorte!

Beijos

Mirze

tonholiveira disse...



CUIDADO
há infarto no meio da poesia,
e não trás alegria!

"Cole.este.rol de rimas na geladeira...

gorduras
álcool
tonturas
sexo
cigarro → pigarro!
sem nexo
sarro...
esparro
nesta hora não dirija o carro"
,

tudo isto já fiz...

HOJE:
3 pontes de safena,
cigarro já esqueci (3 anos)
SEXO (e do bom, muito)

e um bom Cabernet (moderado)
com meu BEM
que cozinha bem,
e "oito" remédios até a morte me levar.

Colesterol normal
caminhadas diárias
coração a MIL e
sem dinheiro no bolso...
e + ou - infeliz!

PODE?!

Ah! ah! ah! ah!

:(:

be:)os!

Assis Freitas disse...

o exercício do ser mulher,


beijo

guru martins disse...

...pô, mas nada melhor
do que talvez tirar a roupa
nessa outra situação
pra zerar a lembrança
da outra situação...

bj

Anita Mendes disse...

tmb gosto mais da nudez desmarcada do que a marcada com taxa.kkkkk beiju