segunda-feira, junho 22, 2009

você nem sabe


você nem sabe que gosto de capuccino com creme
depois pitar um cigarro olhando a tarde
nem que grito e choro quando meu time joga
nem de quando me levanto de madrugada para ver a noite ir embora
e depois cerrar a persiana para dormir de novo com o sol lá fora
não sabe que gosto da noite da lua
do vento que sopra do outro lado da cidade
nem que gosto da cidade e das montanhas
não sabe que gosto de conversar sobre o planeta e as pessoas
e da música do Clube da Esquina
nem que gosto de tomar cerveja com velhos amigos
e saber que vale a pena
dos gatos que ficam por aqui e sempre me observam
nem sabe do poema que fiz quando olhei para os seus olhos
e que joguei fora- vômito saindo da garganta
não sabe que seu cheiro está em meu corpo
como ferroada de marimbondo bravo
não sabe que depois de ontem
me dissolvi como açúcar no café quente
e ainda estou aqui ao lado do telefone

(imagem: fonte desconhecida)

50 comentários:

nina rizzi disse...

bárbaro! agora faz muito mais sentido ler o bardo a te chamar "adriana ginsberg". e agora já fico a escrever como seriam meus dias se vivessemos juntas (lembra do poema pro ginsberg?) nós bêbedas e bitocadas dizendo adeus à noite e virando as costas pro sol.

linda :) beijo.

BAR DO BARDO disse...

adriana, esse tal de você não merece o seu sujeito lírico. que ignorante do caçamba! para se tratar uma mulher, há que se ter o mínimo de conhecimento sobre ela e, principalmente, seus hábitos e, mais principalmente ainda, de seus desejos. manda esse cara às favas! mas... e adianta?! também é comum da mulher gostar do que não presta - porque homem não presta, cê sabe! chuta o balde, maninha!
chama a nina e toma um copão de pínga, dois, três... fuma, fuma, fuma. façam juntas uma ode ao sr. ginsberg. cuspam na careca do stablishment. mandem tudo à pqp. bata com o fone na cara desse idiota. vá logo! qualé?!

beijo nervoso.

Adriana Godoy disse...

Nina, que delícia de comentário, a proposta é boa...certamente viraríamos vários noites a catar conchas e estrelas, a tomar umas e a falar de poetas como Ginsberg. Adorei, Nina, Beijo.

Bardo querido, ainda bem que você disse o eu lírico-embora seja eu- vá se entender...juro, não tô "garrada" ao fone, fica nervoso não- mas achei linda a sua brabeza...beijo calmo.

Mirse disse...

Adriana!

Lindo e fantástico poema que tiraste das almas femininas.

Peço licença e aguardo aprovação para mandar pelo menos para meu ainda morador do meu habitat e que se acha o dono do mundo.

Você nem imagina como me tocou, pois quando olho para eles sempre penso assim!

Beijos, amiga querida!

Mirse

Adriana Godoy disse...

Mirse, não precisa pedir licença,a casa é sua, e o poema depois de escrito já não me pertence. Obrigada pelo seu comentário tão emocionado, fico até sem graça. Beijo.

Adriana disse...

Adriana,
Cada vez te acho mais sensível,sabia? Adorei o que a Nina e o Henrique te disseram, vá encher a cara, pra esquecer a chatice do telefone...ah, e tua descrição do ue gostas é tocante, mesmo.

Anita Mendes disse...

agora eu sei!(rs)

"não sabe que depois de ontem
me dissolvi como açúcar no café quente
e ainda estou aqui ao lado do telefone"

a drika é volúvel(inconstante).
a drika é volátil( que pode voar):
a drika sempre deixa sua marca .
Amei esse poema!
beijos pra ti.
Anita.

Adriana Godoy disse...

Xará, você sempre tão doce, perpicaz e sensível... o eu é o lírico, mas posso encher a cara assim mesmo...hahah. Obrigada. Beijo.

Anita, você não sabe nada ainda...(rs). Seu comentário é muito bom e pode ter até acertado, hein? Pescou a Drika. Beijo, obrigada mesmo.

Fred Matos disse...

Ótimo poema. Amei.
Beijos

Talita Prates disse...

"nem sabe do poema que fiz quando olhei para os seus olhos".
APAIXONEI pelo seu texto, Dri!
Lindo!
Bjão.

Priscila Lopes disse...

Sobre seu comentário, e agora diante do poema, confesso um sentimento recíproco.

Encantada.

sopro, vento, ventania disse...

Bárbaro! bjs. Cynthia

Adriana Godoy disse...

Fred, valeu, volte sempre. Bj

Talita, que bom que gostou. Obrigada. Bj

Priscila, obrigada pela reciprocidade e comentário. Bj

Cynthia, obrigada, bj.

Vinícius Paes disse...

Realmente as semelhanças chegam a ser assustadoras Adriana, mesmo. Se me disse que Lô é o melhor compositor do Clube da Esquina eu vou ficar realmente muito assustado.

Mais um belo texto, cheio de sentimento, como sempre faz.

beijo.

tania não desista disse...

oi,adriana!o eu lírico usará,
sempre,nosso nome nas andanças poéticas. confunde algumas vezes...outras,ilude,no bom sentido. imaginamos ser real ou irreal... nós, fãs das tuas ousadias,acreditamos que te conhecemos ,mais um pouco...alma solene ,sincera,desnuda...presente do seu ,eu lírico , nesse lindo poema ,adriana!
bjo
taniamariza

Prof. Israel Lima disse...

É um privilégio está aqui em seu blog, fonte de conhecimento. Sucesso!

Tenha uma magnífica semana.

Um abraço.

Luciano Fraga disse...

Uma fonte de água tão cristalina capaz de esconder mágicos segredos.Conseguiu transmitir algo como se confessasse para si mesma.Apesar de tudo, talvez seja melhor que o outro não fique sabendo?É aí então onde reside o encanto da poesia, as perguntas/respostas.Grande poeta , abração.

Adriana Godoy disse...

Paes, claro que Lô é o melhor do Clube da Esquina e um dos melhores da música nacional. Haja vista o Tom ter gravado e confirmado isso. Quanto ao comentário, obrigada. Beijo.

Tânia, muito bom seu comentário, mais que mereço. Obrigada e beijo.

Professor, Obrigada pela visita e volte sempre.

Luciano, você sabe das coisas. É muito bom tê-lo como leitor, isso me gratifica sempre e muito. Beijo.

José Carlos Brandão disse...

Que destempero, Adriana. A poesia por detrás, o sopro poético
movendo tudo. Quem somos? Ninguém sabe. A poesia nos revela, mas esconde. Estou lembrando de Jorge de Lima, que mandava não acreditar no que os poetas dizem acordados - ou sonhando, há diferença? Em outro poema, diz que não importa que não nos entendam, se amanhã estaremos mortos. O que importa é a beleza da poesia. Viva a sua poesia, Adriana.
Beijo.

Ígor Andrade disse...

Gostei!

sopro, vento, ventania disse...

tem post pra você, poeta inspiradora.
bjs,
Cynthia

laerth motta disse...

Voce nem sabe...
mas hoje eu te devorei.
Beijo grande

Adriana Godoy disse...

JC, muito lindo e sensível seu comentário. Fico exultante, como diria o Bardo. Beijo.

Ígor, que bom!! Bj

Cynthia, obrigada pelo post, já conferi lá. Bj

Laerth, e a gripe?? Uau, me devorou, muito bom, muito bom. Bj

Bim Glauropolitano disse...

Eh, tá parecendo paixão. Que seja, pelo menos pela vida, essa transmutante divindade.

Reconheci um pouco de você nesse 'você nem sabe'.

Bjos, Pirilampo

Adriana Godoy disse...

Pirilampo, né não...só o eu lírico misturado com o eu eu, entendeu? saudade, até que enfim , né? beijo.

Devir disse...

É, o eu lírico sabe
o outro não, mas e daí?
quem é o outro?

É preciso saber?
Quê faria?
Escalonagens? Então, ó Pessoa
que chato, inevitável fingir
melhor nem saber

Enquanto eu que se dissolve
no café, na noite, na vida
afirma a alegria incondicional
porque lírico
o outro, o blindado
por objetivos, machuca
porque experiência única

"Confundir uma parte
na outra parte, será a arte?"

Eu, quando possível dizer
sou nós, sem erro de gramática
nem alusão matemática
tampouco parasito,
sou feliz.

AGod,(posso, só aqui?), este texto
é melhor que o poema Lobo
posso até esquecer o Allen

Beijão

(Tem cantada, veja lá)

Barone disse...

Muito bom Adriana. E que espirituoso o comentário do Bardo.

Adriana Godoy disse...

Ei, Devir, o eu eu agradece e eu lírico não merece. hahaha. Se for cantada é uma bela cantada, senão é um poema porreta. Adorei. Beijo.

Barone, boa a sua visita, é uma honra. O Bardo sempre se supera mesmo. Beijo.

Rafael Rodriguez disse...

seus comentários e tudo seu que leio por aqui, me enchem de alegria e força.
o café na casa do marcelo partiu daqui.

engraçado, tô deixando sair... a historia da gloria está tomando rumos que eu não havia planjado, engraçado isso. todo dia sento de frente para o pc e tento desenvolver algo.
andava um bloqueio e aos poucos as palavras estão fluindo.

beijão.

Adriana Godoy disse...

Ei, Rafael...também tô gostando muito. Obrigada. Beijo.

guru martins disse...

...a ansiedade
é ruim
mas é bom...

bj

Renata de Aragão Lopes disse...

Ah...
Será que AINDA não sabe? : )

POEMA LINDO!
Declaração perfeita:
romântica na medida,
sincera em pormenores...

Adoro seus textos, Adriana!
Beijo.

Tarcísio Buenas. disse...

adriana,

já passei por situação semelhante.
não sei como meu coração consegue me suportar.

bj

Adriana Godoy disse...

Guru, entendi...bj

Renata, obrigada pelo comentário taõ delicado. Bj

Buenas, que bom que apareceu. É, essa coisa é foda mesmo. Beijo.

Vieira Calado disse...

"...me dissolvi como açúcar no café quente"

Ter ficado ao lado do telefone...

é que foi pior!

Café quente é para beber logo...

Bjs

Nuno G. disse...

dos mais belos poemas de amor que li ultimamente... lindo!

(www.minha-gaveta.blogspot.com)

Devir disse...

Quando, afastado do tempo
das traduções, a confusão
será mero detalhe.

Ínfimo detalhe da beleza
da natureza do Homem
quando vier:
"Discutir o cangaço com liberdade
É saber da viola, da violência
Descobrir nos cabelos inocência
É saber da fatal fertilidade
Descobrir a cidade na natureza
Descobrir a beleza dessa mulher"

Se o Brasil ainda não foi descoberto...

Traduzi-lo
é uma questão devida, antes
da morte

Eta, confissão!!!

Aquele abraço,

Adriana Godoy disse...

Vieira e Nuno, obrigadíssima pela inusitada visita. Abraço.

Devir, uma confissão e tanto, aliás, uma bela e poética confissão. Bj

Tomaz disse...

Pois é, adorei ! Tem tanta coisa que a gente não sabe de quem se gosta hehehe, Estes mistérios ficam mais legais quando se desvendam...

Obrigado pelos votos de recuperação de meu acidente, estou me erguendo aos poucos hehee

Beijao.

Fred Matos disse...

Volto sempre, sim.
Ótimo fim de semana.
Beijos

Devir disse...

Voce nem sabe que tenho dúvidas...
que quando ganho dinheiro
não bebemoro com os colegas
que volto para casa e ligo a internet só porque estou bem
que esqueço todos outros projetos e esqueço mais uma vez os novos
ou
que jamais procurei alguem quando perco dinheiro
que vou beber um único góle sozinho e os colegas aparecem para pagar a ressaca do outro dia
Voce nem sabe que abandonei aquele futebol todo final de semana no barro Paulistano
que choro às vezes por isso escondido em livros ou amores perros
não sabe que no cinema jamais dormi e nunca vale a pena se depois não discutir além do enredo aquelas qualidades técnicas sem revelar que são as melhores
que hoje por exemplo foi um dia especial
que acordei no horário de sempre para trabalhar e somente postar um texto e voltar para junto de quem estava sonhando porque tinha a desculpa deslavada que chovia
não sabe do óbvio da gozação do mundo porque cheguei no horário do almoço e comi mais do que o costume
que atendi uma cliente idosa que dizia compreender meu destino
que comprou muito além do aguardado que me "dissovi como açucar" no bolso do terno
e ainda estou assim ao lado do telefone

Vv disse...

É Adriana ... Amar é INVESTIGAÇÃO HISTÓRICA PURA: DOS SENTIMENTOS, DOS DESEJOS, DOS MEDOS, DOS ANSEIOS, NÃO É MESMO ? Sem essa investigação ... o OUTRO não sabe. Nem nunca vai saber. Lindas Palavras. Parabéns. Abraços, Vivi.

extraviodemim.blogspot.com

Prof. Israel Lima disse...

Minha amiga
Adriana Godoy

É muito bom tê-la em meu blog.
Agradeço por sua visita e comentário!

Venha mais vezes!

Obrigado pela força!

Seu blog é excelente! Gosto muito de estar aqui!!!
Sua determinação é um exemplo a ser seguida.

Tenha um magnífico final semana.

Um grande abraço.

pianistaboxeador21 disse...

Lindo!!! O pior é a pessoa não saber sequer (talvez) desse poema lindo. Desencontros mais uma vez.
Maravilhoso mesmo.
Beijo

Devir disse...

Sabedoria se fez antes dos objetos.
Nomes se fez depois dos objetos.
Antes da sabedoria o devir
que não sabe de nada
não é um objeto
não é nada
antes que seja
uma sabedoria
tenha nome.

Adriana Godoy, é um prazer
respirar
este seu ar virtual

Aqui em Sampa o tempo tá horrível
é uma graça divina ter este filme
Quarta B, do Marcelo Galvão
na agulha
para depois do jogo da seleção
Quero escrever um texto
para participar do debate
Contra as Drogas, eu prometi
Na última passada aqui
fui até o blog da Ana Barbiere
deixei um poema
Depois passei no blog da Vanessa
obriguei-me à ironia
no velório do "MJ"
e prometi o texto

É difícil ser contra
quando não se pode ser à favor
corre-se o rico de parcialidade
de julgamento sumário

World, welcome to machine

Forte abraço

Devir disse...

Um poema para quem achar mais erros
no meu post anterior.
Espero que voce ganhe, Adriana Godoy.
O prêmio estará disponível
lá no meu blog.
Este concurso vale até 5/7/09.
Só é permitido participar
quem considera o erro
uma droga leve (tipo cigarro)
e menos("proibido pisar na grama")
pesada.
É importante citar as fontes
as quais que estipularam
os pesos e as medidas.
Um prêmio alternativo
receberá a melhor redação ou poema que deverá estar em anexo nas linhas de baixo,
juntamente com o endereço.
Será descartado os anônimos
por força maior.
É permitido participar
qualquer ser vivo;
de preferência domésticos.

O Ministério da Cultura agradece.

Aquele abraço

Lou Vilela disse...

Sem delongas, a do rei!

Lara Amaral disse...

Lindo, parabéns!

Luisa Godoy disse...

legal demais esse tb. tudo no lugar. final perfeito.

Adriana Godoy disse...

ô, Lu, é tão rara sua visita que me comovo com seu comentário. Bj