quinta-feira, maio 14, 2009

Benedita

aquarela/rafael godoy

a Daniel Lopes


quando Benedita me disse que já era noite
não acreditei
porque em seus olhos brilhavam dois sóis
e o chá que ela me trazia
tinha o aroma da minha infância
então quis pular da cama
mas suas mãos negras e quentes
me seguravam
e sua voz dizia para eu dormir

depois de noites acordada
ruminando sonhos destoantes
deitei a cabeça em seu colo
e pude dormir como dormia nos braços de minha vó

Benedita cantou canções e dormiu com meus sonhos
a noite ficou doce e suave
e tinha gosto de quintal e de manga caída do pé

38 comentários:

V.M.Paes disse...

Lindo demais Adriana.
Nostálgico, acolhedor, e com cheiro de quintal e gosto de manga caída do pé. Gostei mesmo.

beijos.

José Carlos Brandão disse...

Todos precisamos de uma Benedita.
... e o seu poema de gosto de quintal e manda madura caída do pé - gostoso.
bjs.

Mirse disse...

Ah! Como estou precisando de uma Benedita!

Saudades da minha vó!

Não vale despertar sentimentos assim, Adriana.

Delícia!

Beijos

Mirse

Taninha Nascimento disse...

Oi, Adriana!!

Você está ótima na foto !!

Muito feliz a escolha da postagem e, que linda essa tela!!!




Beijos e saúde procê!
Taninha

António Gallobar disse...

Olá Adriana então já está a recuperar, espero que sim, belo poema, muitos parabens.

Beijinho

BAR DO BARDO disse...

Benedita disse muito bem. Poderia ser uma escrava de dentro, uma babá, uma vó, uma tia, uma amiga invisível. Uma guia de luz...

Amém!

Hercília Fernandes disse...

Lindo poema, paisagens de sonho, Adriana.

Sua Benedita fez-me lembrar da minha doce maria-só-zinha, a minha bonequinha.

Lindo texto, Godoy. Puro onirismo!

Beijos :)
H.F.

Adriana disse...

Adriana,
É impressão minha ou vc está mais doce?E sua foto,menina, beleza!!! Tome muito chá com mel das mãos de Benedita.

Felipe da Costa Marques disse...

Bendita Benedita!

Que poema bonito!

Felicidades!

pianistaboxeador21 disse...

NOSSA SENHORA. QUE COISA MAIS LINDA!!!
ADOREI E FIQUEI MESMO MUITO METIDO E LISONJEADO.
OBRIGADO.

E A MANGA NO PÉ? AH A MANGA NO PE!
BEIJO

fred disse...

Poema lindo, terno. Amei.
A ilustração também é maravilhosa.
Beijos

Lord of Erewhon disse...

Belíssimo poema!

Anônimo disse...

Primova,
que bom te ver asim tão doce, como se estivesse tomando sorvete, e não fumando um cigarro...Lindo, lindo seus poemas... um beijo e que bom que você voltou!

Renata de Aragão Lopes disse...

Fico feliz por imaginá-la melhor! Até a foto tornou-se mais feliz! rs

Gosto de quintal - que delícia!

Cosmunicando disse...

me empresta a Benedita?
sua foto tá show =)
bjos

Adriana Godoy disse...

Paes, José carlos, Mirse, Taninha, Galobbar, Pimenta, Hercília, Adriana, Felipe, Fred, Lord, Andrea, Renata, Cosmunicando....adorei seus comentários...por mim e pela Benedita. Cosm., Não empresto não, háhá...
Pimenta...você sempre...Beijo.

Daniel,me lembrei de sua Benedita, me lembrei de você. Não precisa ficar assim...obrigada mesmo.


Beijos em todos.

PS: Estou realmente melhorando.

nina rizzi disse...

que linda. lindas. tu e a benedita que todo mundo devia "ter". as duas primeiras estrofes são de um ludismo absurdo. a última de coralinices.

queria te segurar as mãos e te dar um beijo em cada olho. bem apertado.

foi uma azaléa que foi ao mar. pra yemanjá. pra vc.

beijo :)

Adriana Godoy disse...

Nina, você é linda como Iemanjá...e ainda lhe dá uma azaleia em meu nome. Adorei isso e suas palavras. Beijo.

Barone disse...

"porque em seus olhos brilhavam dois sóis
e o chá que ela me trazia
tinha o aroma da minha infância"

Anita Mendes disse...

A nostalgia se mistura com a melancolia do poema parece até mesmo uma canção
de ninar ...com cheirinho de manga no ar. (nada melhor!)
Lindo!
beijos pra ti, Anita.

Adriana Godoy disse...

Barone, boa a sua visita.

Anita, senti sua falta. Tudo bem? Beijo.

JC disse...

Era noite, mas nos olhos da Benedita brilhavam dois sois. Sois que encheram a tua alma de alegria, de contentamento. ois que brilhavam com tanta intensidade que o escuro da noite se transformou em dia. Como são infinitos os poderes da Benedita.
Quanto à aguarela, é linda....
Beijinhos

Cynthia Oliveira disse...

Adriana,
brigada pelo comentário, pela visita ao meu blog.
Gostei demais dessa sua Benedita. É um pouco de tudo isso que foi escrito sobre ela. Você, Adriana, escreve, e quem lê cria outras criaturas a partir da sua cria; Muito legal isso! A minha Benedita anda meio esquecida por mim, pena. Lendo sobre a sua, vou repensar no quanto ando deixando de lado tanta, tanta coisa. Lindo seu poema, sensível como você (nem precisava dizer isso, mas não dá pra calar o coração).
Bjs, se cuida, SEMPRE! Você precisa ficar BEM, tá bom?
Cynthia

Luciano Fraga disse...

Amiga Adriana, poema tão doce, mas tão doce quanto a doce manga que caiu do pé, belo. Nosso Poeta Daniel merece uma coisa fina como essa, beijo.

laerth motta disse...

um carinho sempre cai bem, tambem quero a Betina...
quem é Rafael Godoy? bela a aquarela...
beijo grande, pra vc,pra betina e por sua volta

Adriana Godoy disse...

JC, que delícia de comentário. Beijo.

Cynthia, obrigadíssima pelo carinho, pelas palavras. Beijo.

Luciano, O Daniel merece sim, não só ele, vc sabe, né? Doce é você. Beijo.

Laerth, um carinho sempre cai bem, também acho. Rafael é meu filho. Beijo.

Marcia Barbieri disse...

Ficou simplesmente linda a sua leitura do conto do Daniel. Adorei tb a tela docemente em desconstrução, senti minha infância voltando e se desmanchando em mim.

beijos ternos

Guru Martins disse...

...essa é BENDITA
apresenta ela pra mim
tô precisando dormir
uns 3 anos direto
e por falar
em Bendita
bem vinda!!!

bj

[ rod ] disse...

Vivências e noções dão a sábia certeza das palavras... sua escrita me lembra o sentir profundo... o pensamento de não ao nada é em vão.

Bjs moça,





Novo dogMa:
númeRo...


dogMas...
dos atos, fatos e mitos...

http://do-gmas.blogspot.com/

Ígor Andrade disse...

Gostei da aquarela!
O texto me levou pro passado na casa dos meus avós. Boas lembranças.
Abraço, e melhoras!

ลndreia disse...

Que bonito!! *

Assis de Mello disse...

Lindo, Adriana.
Já que vc não empresta o colo da Benedita, vi em seu poema que ela faz doce de abóbora e canjica muit bem. Então peça pra ela frazer uns doces pra você me mandar via Sedex.
E que Deus lhes pague !!!
Chico

Tomaz disse...

Benedita me fez lembrar do sítio que meus avós tinham quando eu era criança, saudade de sair correndo atrás das galinhas auhuaua
Beijão.

Compulsão Diária disse...

Santas Beneditas!
Com suas vozoes, cheiros e colos deliciosos e sagrados á maneira do seu poema, Adriana.
Cadê Benedita? Vc precisa dela agora.
Mas, olha aqui, estou torcendo pra que os gatos esquentem as noites e sejam pequeninas beneditas;))
saudades e melhoras

Compulsão Diária disse...

Esqueci de comentar : vendo a forto nova, vc me parece ótima!

Rafael Rodriguez disse...

muito lindo!!! muitas lembranças.

----------------------

"
quando Benedita me disse que já era noite
não acreditei
porque em seus olhos brilhavam dois sóis"

"e tinha gosto de quintal e de manga caída do pé"

Adriana Godoy disse...

Marcia, Guru, Rod, Igor, Andreia, Assis, C.D., Rafael....gostei imensamente de seus comentários..mas a Benedita é minna, tá?(haha)Beijos.

Assis, quem sabe? E uns pães de queijo?

António Gallobar disse...

Que belo retrato da infancia, dos sonhos das mãos protectoras de Benedita, estas imagens fantasticas nos acompanham ao longo da vida, e são tão belas e tão boas.

Parabens Adriana, adorei