segunda-feira, maio 28, 2007

Non- Sens

Não me surpreende
que a alma tenha deixado o meu corpo.
Surpreende-me, sim
a insistência de permanecer existindo.

4 comentários:

Cunhadão disse...

Pois a mim surpreende o fato de que ainda não consigas ver a grandeza de sua alma...
TE AMO CUNHADÃO!!!!

Anônimo disse...

De quê ou de quem você anda fugindo?
Sinto sua falta. Não entendo essa distância. O que anda acontecendo com você que eu não posso mais saber?
sua primelha, saudosa

Cunhadão disse...

Ouuuu, escreve mais aí, ouuuuuuuuuuu!

Daniel disse...

poesia não é definitivamente minha praia, Adriana. mas dessa aí embaixo, ó, "Martin Olivier", eu gostei.

quanto a seu comentário no meu blog, pode se empolgar à vontade (ah, se todos se empolgassem como você...). apenas tmb me perdoe quando eu me empolgar comentando por aqui, hehe.

abs.